Assim como qualquer engrenagem, a manutenção constante e preventiva do ar condicionado veicular ajuda no bom funcionamento do equipamento e economiza no consumo de combustível, além de dar aquela refrescada essencial em dias de altas temperaturas. Imprescindível é estar atento, manter o sistema limpo e sempre funcionando, a fim de evitar a necessidade de reparos mais caros.

A diferença do fitro de ar condicionado sujo e limpo (Foto: Açor Comunicação)

Quem pensa que deixar de usar o ar condicionado no Inverno e durante alguns meses ajuda na economia, pode levar um susto na hora da manutenção. Quando utilizado com pouca frequência, a umidade pode acumular-se nas tubulações e aberturas gerando fungos, bactérias e mofo. Isso pode deixar um cheiro desagradável no veículo, podendo provocar doenças respiratórias devido ao acúmulo de poeira e pólen.

Por isso é importante fazer a troca do filtro do ar condicionado e a higienização do veículo pelo menos a cada 12 meses. “No caso de carros que trafegam com grande frequência em estradas de chão, o indicado é fazer a manutenção no sistema de ar condicionado com mais frequência”, explica o gerente da Oficina Déco, Paulinho da Cunha. Já, se forem observados vazamentos ou se o ar não estiver gelando, pode ser necessário fazer a recarga do gás, o que normalmente é feito a cada três anos, pois escapa gradualmente ao longo do tempo.

Importante também é o cliente estar atento aos tipos de produtos utilizados na limpeza do ar condicionado veicular. A Oficina Déco recomenda ao cliente que, além de trocar o filtro do ar condicionado, que varia de preço de acordo com o veículo, sendo a partir de R$ 35, seja feita a higienização no sistema. Esta pode ser feita de duas formas, com uma lata de aerossol que contem perfume, que é pulverizada diretamente nas saídas de ar; ou ainda a higienização sem perfume, feita através de uma máquina deixada dentro do carro com o ar condicionado funcionando. O valor da higienização é a partir de R$ 50 reais.

Publicidade