Publicidade

A umidade relativa do ar está baixa em Santa Catarina devido à intensificação da massa de ar seco que atua no estado. Os índices previstos para esta semana, especialmente no período da tarde, devem ficar em torno de 30% em algumas cidades, conforme a Epagri/Ciram. Nas áreas mais afastadas do Litoral, como no Oeste e Meio-Oeste catarinense, esse índice pode ficar ainda mais baixo. E este clima seco traz uma série de complicações à saúde, principalmente respiratórios.

De acordo com o médico pneumologista da Secretaria de Estado da Saúde, Gilberto Ramos Sandin, a queda da umidade deixa as vias aéreas e mucosas mais ressecadas, principalmente em pessoas com doenças crônicas como asma e rinite. “A pessoa pode sentir também ardência e sensação de areia nos olhos. Tudo isso está relacionado com a época do ano”, relatou.

Publicidade

Para evitar ou minimizar a ocorrência de problemas de saúde, o médico chama a atenção para alguns cuidados importantes, como a ingestão de água, evitando bebidas diuréticas como café, refrigerantes e alguns chás. Sandrin também indica o uso de soro fisiológico para evitar o sangramento das narinas e ressecamento de outras mucosas, como boca e olhos. É ideal reduzir o consumo de alimentos com alto teor de sal, aumentando o de frutas e verduras, além de evitar a prática de exercícios físicos entre 10h e 17h.

O uso de bacias com água ou toalhas molhadas ajudam a aumentar a umidade de um ambiente. Umidificadores de ar também contribuem, mas Gilberto Sandin alerta que esses aparelhos requerem alguns cuidados. “O uso de umidificadores por muito tempo pode aumentar a proliferação de fungos no ambiente e, para quem já tem a predisposição genética para asma e bronquite, isso pode ser um fator de agravo da doença. Para quem quiser fazer o uso do umidificador antes de dormir, a dica é ligar duas ou três horas antes de dormir”, explicou.

Publicidade