Publicidade

A Companhia Catarinense de Água e Esgoto (Casan) avaliou, durante reunião preparatória à Operação Verão 2018, realizada na manhã de quarta-feira (25), que com base nos dados coletados até o momento, nos investimentos e nas obras em execução, a expectativa é de que a temporada 2018 seja marcada pela estabilidade do abastecimento de água do Estado.

No encontro, o corpo de engenheiros da empresa repassou detalhe por detalhe, ao diretor-presidente Valter José Gallina, dados para garantir tranquilidade no abastecimento. “Hoje já podemos afirmar que não falta mais água em Santa Catarina”, disse Gallina, após checar tudo o que foi apresentado pelos técnicos.

Publicidade

“Se falta água em alguma rua, bairro ou cidade, é porque um acidente ocorreu, como rompimento ou vazamento de rede, e, nesses casos, estamos cada vez mais ágeis para consertar”, avaliou o diretor-presidente.

A reunião foi realizada um dia após a bem-sucedida operação que desviou para uma área de segurança a adutora do Rio Pilões, considerado o principal manancial do Sistema de Abastecimento da Região Metropolitana. A adutora de 800 mm foi assentada agora sob a estrada, eliminando os trechos aéreos que, em meio à Serra do Tabuleiro, a tornava passível de deslizamentos de terra quando chovia muito.

Somente nesta obra de segurança a companhia está investindo mais de R$ 2 milhões. “Certamente não é das obras maiores da Casan, mas é uma das mais importantes para a história do abastecimento de água tratada de Santa Catarina”, disse o engenheiro Joel Hortsmann, coordenador da operação em Pilões.

Os técnicos também levaram à reunião o estágio das obras de implantação do trecho que falta da adutora de 1.200 mm, a maior do Estado. Esta tubulação está sendo implantada na área continental de Florianópolis e em São José. Ela vai ampliar o abastecimento das duas cidades e beneficiar de sobremaneira a população de Biguaçu. “Até dezembro esta obra estará concluída”, disse o engenheiro Fabio Krieger, dando outra boa notícia à região catarinense que mais recebe turistas no Verão.

Novo reservatório em Biguaçu e adutora de 1200 mm acabará com falta de água, diz Gallina

Na temporada passada, a marca recorde de 220 milhões de litros/dia de água tratada foi ultrapassada quase todos os dias na Grande Florianópolis. Este ano, se necessário, será possível até superar estes números, pois a oferta será maior. No dia 15 de janeiro de 2017, a Companhia disponibilizou 186 milhões de litros apenas para consumo de Florianópolis, indicando que naquele dia havia aproximadamente 1,2 milhão de pessoas na Capital, cuja população fixa é de 470 mil. Foi o maior volume de água consumido até hoje em Santa Catarina no período de um só dia.

Casan projeta captar água do rio Biguaçu para abastecer o município

Diferentemente de 2015, quando houve a necessidade de 38 ações, e do ano passado, quando a Casan produziu cerca de 30 obras e melhorias, a Operação Verão 2018 está restrita a 16 pontos e obras. Além das adutoras de 800 e 1.200 mm, o planejamento prevê até dezembro melhorias nas redes e Estações de Tratamento dos Ingleses (a região que mais recebe turistas), Vargem Pequena, Rio Tavares, Lagoa e Barra da Lagoa, novos conjuntos moto-bomba para os sistemas Costa Norte e Costa Leste, limpeza geral de poços e adutoras e revisão completa das instalações elétricas. Estes procedimentos ocorrem no Litoral e nas demais regiões que recebem visitantes.

Como tem feito preventivamente nos últimos anos, a Casan também vai locar geradores para enfrentar as quedas de energia em suas unidades e uma frota de caminhões-pipa como medida de segurança. “Todo nosso esforço é para evitar o uso desses caminhões”, disse o engenheiro Gallina ao final da reunião.

Publicidade