As professores Ana Pimenta Monteiro e Kátia Roussenq Bichels registraram, nesta quarta-feira (16), suas candidaturas para disputar o cargo de secretária de Educação de Biguaçu. Eles entregaram toda a documentação que as habilitam a postular o comando da pasta.

A futura secretária será eleita pela maioria dos votos de seus colegas lotados nas unidades escolares e na Secretaria Municipal de Educação (Semed). Atualmente a rede municipal tem 918 servidores, entre professores, técnicos, motoristas, zeladoras, merendeiras, vigias, entre outras funções.

Publicidade

A votação será por meio de voto secreto e ocorrerá no auditório David Crispim Corrêa, no prédio da Secretaria, no dia 28 de novembro, entre 8h e 20h. A apuração dos votos será realizada logo após o término da votação. O mandato na Secretaria será de quatro anos e será avaliado pelo prefeito a cada seis meses.

Ana Pimenta Monteiro é pedagoga formada pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e fez mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Ela disse, em seu perfil social, que vários educadores da rede municipal de ensino têm entrado em contato dando sugestões para o plano de gestão.

“Perceber tantas pessoas preocupadas com o rumo da educação é muito importante, fazendo-me acreditar que tomei a decisão correta. Afirmo que, quem quiser ainda contribuir, sinta-se a vontade. Isso é democracia”.

Kátia Roussenq Bichels é formada pela Unisul. Nesta quarta-feira de manhã ela manifestou satisfação em participar deste processo democrático.

” Até o dia 28 serão dias intensos, de muita conversa e exposição de propostas. Um dia quando meus netos forem grandes contarei a eles que sua vó vivenciou isto tudo e que tivemos em nossa cidade esta oportunidade ímpar. Com certeza ficarão orgulhosos como eu estou”.

Professoras Ana (à esquerda na foto) e Kátia concorrem à secretária de Educação
Professoras Ana (à esquerda na foto) e Kátia concorrem ao cargo

Inovação

A medida é uma inovação do prefeito licenciado Ramon Wollinger (PSD). O feito é inédito em Santa Catarina. No Brasil, apenas Londrina – no Norte do Paraná – tem iniciativa semelhante. Wollinger argumenta que essa é a maneira mais democrática de gestionar uma das áreas mais importantes da administração pública. Além disso, quebra o paradigma da escolha política e instala a “meritocracia” – com os servidores da Educação elegendo um de seus pares.

Eleição de diretores de escolas

A inovação de Ramon Wollinger para escolher o secretário também será estendida à escolha dos futuros diretores das escolas municipais e creches. O prefeito confirmou que serão os próprios professores e servidores de cada escola que vão definir quem vai gestionar as unidades em 2017.

“Nos fizemos um projeto piloto nesse sentido, nas escolas Olga Borgonovo e Manoel Roldão das Neves, e também na creche do Jardim Janaína. Isso deu muito certo e agora será feito em todas as unidades do município”, disse.

Atualizada às 9h29 de quinta-feira (17)

Publicidade