Diante das altas temperaturas e da estiagem prolongada que atinge todas as regiões de Santa Catarina, a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) emitiu um comunicado, na tarde desta sexta-feira (15), solicitando à população que faça economia de água tratada.

Desde maio que o volume de chuvas no Estado é considerado abaixo da média. Os dados mais recentes da Epagri/Ciram mostram que no mês de julho, por exemplo, choveu apenas 20% do esperado para todo o mês. Desde então a situação só se agravou, apesar de uma semana de chuva em agosto. Nos últimos 15 dias o cenário se agravou devido às altas temperaturas, muitas vezes superiores a 30º C, que aumentam consideravelmente o consumo de água tratada.

Publicidade

Na Grande Florianópolis, os dois principais rios – o Cubatão e o Vargem do Braço (Pilões) -, estão, de acordo com Epagri/Ciram, “em estado de atenção”. No caso do Rio Cubatão, o nível nesta sexta-feira, dia 15, é de 89 centímetros, sendo que a situação considerada de normalidade do manancial situa-se na faixa de 92 e até 500 centímetros. No Rio Vargem do Braço, popularmente conhecido como Pilões, o nível está em 99 centímetros, índice que coloca este manancial também em “estado de atenção”.

Casan retoma construção de adutora na Grande Florianópolis

“Felizmente, os investimentos dos últimos anos têm permitido a normalidade do abastecimento em todas as regiões do Estado apesar da estiagem prolongada”, diz o engenheiro o gerente de Políticas Operacionais da Casan, Rodrigo Maestri.

O Plano de Investimentos da Companhia para os Sistemas de Abastecimento de Água (SAA) no período 2015/2020 prevê R$ 600 milhões de recursos, que têm possibilitado a ampliação das redes de distribuição no Estado, a construção de reservatórios em todas as regiões, a instalação de 40 estações de tratamento e a abertura de dezenas de poços onde os aquíferos permitem. “Mesmo assim, contamos com a colaboração dos moradores para um consumo mais racional, pois há mais de três meses os volumes de chuvas estão muito baixos na Região Sul”.

Casan projeta captar água do rio Biguaçu para abastecer o município

Regiões mais impactadas

As regiões Oeste e Norte do Estado  são as mais atingidas pela falta de chuvas. No Oeste, os rios Taboão, Burro Magro, Jacu e do Peixe estão com níveis mais baixos. Com obras emergenciais e abertura de poços a Casan vem mantendo o abastecimento normal em quase todos os municípios do Oeste.

Em Mafra, município da região Norte onde não chove há 90 dias e a temperatura oscila na média de 30ºC, o nível do Rio Negro tem exigido atenção permanente das equipes técnicas e a colaboração da população. “Como a temperatura é muito alta e o tempo seco, algumas pessoas estão usando água para molhar as ruas e conter o pó”, lamenta o chefe da agência Casan, Honório Fragoso. “Pedimos que a população não faça uso de água tratada para molhar ruas ou regar plantas neste momento.”

Dicas de economia de água:

:: Tome banhos rápidos e feche o chuveiro ao se ensaboar. Chuveiro aberto por 15 minutos consome 135 litros de água

:: Feche a torneira ao escovar os dentes e ao fazer a barba

: Não lave a louça com água corrente: passe rapidamente água nas louças, ensaboe os pratos e utensílios. Abra a torneira apenas para enxaguar.

: Não lave roupa com água corrente. Trabalhe utilizando o tanque.

: Só ligue a máquina de lavar louça ou a de lavar roupa com capacidade total: o consumo é igual se ela não estiver cheia.

:: Não use água como vassoura. Em calçadas e áreas pavimentadas, primeiro varra a sujeira, depois lave com a utilização de um balde. Com mangueira, em 15 minutos são desperdiçados cerca de 280 litros de água.

:: Não use mangueira, mas balde e pano para lavar o carro. E em épocas de estiagem evite lavar seu automóvel.

:: Reaproveite a água usada para outros fins, como lavar calçadas.

:: Molhe o jardim com regador, sempre ao amanhecer ou à noite, assim elas aproveitarão melhor a água. Regar as plantas nas horas quentes resulta em elevadas perdas por evaporação.

:: Não jogue água nas ruas: água não é pavimentação

:: Regule a válvula de descarga: esse cuidado pode reduzir o consumo pela metade.

Publicidade