Biguaçu fechou o ano de 2017 com frota de 41.733 veículos, segundo dados consultados por Biguá News junto ao Departamento Estadual de Trânsito de Santa Catarina (Detran/SC), registrando crescimento de 3,02% sobre as 40.508 unidades do ano anterior.  Em números absolutos, o volume aumentou em 1.225 unidades.

A maior parte da frota biguaçuense é formada por automóveis, com 23.258 carros, seguida por 11.009 motos (motocicletas e motonetas), 2.067 caminhonetes, 1.875 camionetes, 1.416 caminhões, 1.026 reboques, 271 semirreboques, 232 caminhões-trator, 202 utilitários, 147 ônibus, 85 micro-ônibus, 68 tratores de rodas, 35 motor-casas, 22 ciclomotores, 18 triciclos, um trator de esteiras e um trator misto.

Publicidade

A evolução da frota, nos últimos dez anos, foi de 81%. No ano de 2008, o volume de veículos em Biguaçu era de pouco mais de 23 mil unidades. Em 2009, foi de 56,6 mil; 2010 de 28,4 mil; 2011 de 31,3 mil; 2012 de 32,9 mil; 2013 de 34,9 mil; 2014 de 37,2 mil; e em 2015 eram 39,3 mil.

Em Antônio Carlos a frota atual é de 7.539, com aumento de 3% no ano. Já em Governador Celso Ramos são 7.608 veículos atualmente, incremento de 5% em relação aos 7.246 contabilizados em 2016.

A maior parte da frota é de automóveis, com mais de 23 mil carros (Foto: Biguá News)

IPVA

O crescimento da frota de veículos representa mais recursos para os municípios investirem em diversas ações, entre elas a manutenção de vias públicas. Metade do que os proprietários de veículos automotores pagam fica para o Estado e a outra parte volta para as prefeituras.

Em Biguaçu, a arrecadação anual com esse imposto gera mais de R$ 4 milhões líquidos por ano, de acordo com dados da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam).

Para Antônio Carlos, a transferência de recursos originados nesse tributo gira em torno de R$ 1,1 milhão/ano.

Governador Celso Ramos recebeu, do Governo do Estado, em 2016, pouco mais de R$ 900 mil de IPVA.

Publicidade