Os funcionários do Instituto de Saúde e Vida (Isev) decidiram, em reunião feita nesta segunda-feira, iniciar uma greve a partir de quinta-feira (14), paralisando 70% dos atendimentos, devido ao atraso de salários e também pela falta de pagamento da primeira parcela do 13° salário. A legislação trabalhista estabelece que os empregadores devem depositar a metade do 13º até o dia 30 de novembro.

Por contrato, a Prefeitura de Biguaçu repassa recursos mensais para o Isev administrar os postos de saúde e cabe ao instituto pagar os vencimentos desses trabalhadores. A Prefeitura informou, ao Biguá News, que está com suas parcelas em dia e que  notificará a  Isev, nesta terça-feira (12), para que deposite a primeira parcela do 13° no prazo de 24 horas. O salário de novembro, que estaria atrasado, foi saldado pelo Isev na manhã desta segunda-feira, segundo o Poder Executivo. O município ressalta ainda que a apresentação de certidões negativas por parte da contratada é requisito para a transferência dos recursos.

Publicidade

Após decidir pela paralisação, os servidores do Isev estão fixando comunicados nas portas das unidades informando os motivos da greve. Pontuam, por exemplo, que não receberam adicional de férias e que muitos não estão recebendo o FGTS em suas contas vinculadas nos bancos.

Comunicados estão sendo fixados nas unidades (Foto: Reprodução)

O Instituto tem cerca de 160 funcionários nos postos de saúde, Samu, no Caps, e nos programas Melhor em Casa e Nasf.

Biguá News procurou a assessoria da Isev no final da tarde para saber a versão do instituto, mas até a publicação desta notícia não obteve resposta e permanece a disposição para publicá-la.

Publicidade