Publicidade

Na continuidade das obras de implantação da adutora de água tratada de 1.200 milímetros do Sistema Integrado de Abastecimento da Grande Florianópolis, será necessário interromper o trânsito de veículos, nos próximos dias, para o assentamento da rede em duas frentes de trabalho do trajeto da rede, uma em São José e outra em Florianópolis.

Na Praia Comprida, em São José, a partir deste sábado, dia 29, a rua Luiz Fagundes será fechada ao trânsito no trecho entre a rua Gentil Sandim e Nicolau Diconsili. A empreiteira responsável pela obra contratada pela Casan está distribuindo folhetos feitos pela Prefeitura Municipal para informar moradores, motoristas e usuários das linhas de ônibus que passam pelo local como ficará o tráfego de veículos no local, de acordo com o avanço da obra. As obras ao longo da Luiz Fagundes devem se estender por cerca de 120 dias.

Publicidade

Em outra frente de trabalho, no final da avenida Beira Mar, já no município de Florianópolis, Bairro Capoeiras, a rua Dom Pedro II será fechada ao trânsito de veículos a partir da próxima terça-feira, dia 1º de agosto. O acesso à avenida Ivo Silveira deverá ser feito pela Dom Pedro I, que passa a ter sentido único durante as obras. A previsão é concluir este trecho em 60 dias.

A implantação da adutora de 1.200 mm foi paralisada em 2015 devido a alterações de projeto e traçado. Com previsão de ser colocada em operação ainda neste Verão, até dezembro serão assentados os últimos 1.100 metros. Seu traçado se estende da ETA Cubatão até a entrada de Florianópolis, numa extensão de 15,6 quilômetros.

A adutora de 1.200 vai aumentar a oferta de água tratada para os bairros Serraria, Barreiros e Areias, de São José, ampliar o abastecimento da área continental de Florianópolis e regularizar a distribuição para a Bacia do Itacorubi, que abrange os bairros Itacorubi, Santa Mônica, Parque São Jorge, Jardim Anchieta e Pantanal. “Também vai regularizar a pressão da água que vem do flocodecantador, beneficiando São José, Florianópolis, Biguaçu e, inclusive, Palhoça, que compra água da Casan”, explica o gerente de Construção, Fábio Krieger. “Depois do Sistema Flocodecantador, esta é a obra mais importante para dar tranquilidade à operação de abastecimento da Grande Florianópolis”, resume o engenheiro.

Após a retomada da adutora de 1.200, a Casan negocia com a Prefeitura de Florianópolis para retomar a obra da adutora de 800 mm no trecho Ponte Pedro Ivo até o teatro do CIC. Investimentos que vão garantir o abastecimento de água a moradores e turistas da Grande Florianópolis pelos próximos 20 anos. As obras incluíram ainda construção do Flocodecantador na ETA Cubatão, a construção do reservatório de 3 milhões de litros em Ingleses e a substituição de toda a rede ao longo da SC-403, também no Norte da Ilha; três novos reservatórios em São José, num total de 14 milhões de litros, dos quais um já foi concluído, o outro está em obras e um terceiro em projeto final; e a construção das ETAs Sorocaba e São Miguel, em Biguaçu, além de substituições de rede em diversas localidades.

“A falta de água na região metropolitana ficou no passado”, diz o presidente Valter Gallina. “Hoje em dia, somente acidentes ou problemas pontuais, como vazamentos, geram cortes no abastecimento, pois em termos estruturais a Casan está garantindo o abastecimento, especialmente na temporada de Verão”.

Publicidade