Publicidade

A indústria de árvores plantadas no país pode trazer vantagens para o meio ambiente, principalmente no combate ao aumento da concentração de gases de feito estufa na atmosfera, mostra relatório divulgado nesta quarta-feira (23) pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

As árvores plantadas demoram sete anos para serem colhidas, mas o modelo de produção das indústrias permite que todos os anos parte delas seja colhida. A sequência de plantações promove um estoque de carbono, que é removido da atmosfera, equivalente a 200 toneladas por hectare. “A floresta é um reciclador natural do carbono”, disse Fábio Marques, consultor do Ibá.

Publicidade

O plantio de árvores absorve o gás carbônico (CO2), que é um dos gases de efeito estufa, e libera oxigênio (O2), essencial para a vida humana. Fábio explica que a necessidade de redução dos produtos de base fóssil no mundo vai aumentar a demanda por energias renováveis nos próximos anos.

De acordo com ele, uma das formas de evitar a emissão de gases provenientes do produto fóssil é a substituição por biomassa florestal, como fonte de energia. A celulose também pode ser usada no lugar de polímeros, de origem fóssil. “É necessário pensar em mecanismos capazes de estimular a demanda sustentável, como o aumento de estoques de carbono em áreas de restauração, como plantações em um pasto abandonado”, disse.

Relatório

O relatório do Ibá revela que as florestas plantadas no Brasil ocupavam 7,84 milhões de hectares em 2016, equivalente a 0,5% de crescimento em relação a 2015. Essas áreas representam menos de 1% do território nacional, sendo que 90% da madeira são usados para fins produtivos.

As árvores resultam em papel, painéis de madeira, celulose, piso laminado, carvão vegetal, entre outros. O setor acumulou receita bruta de R$ 71 bilhões em 2016, respondendo por 6,2% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial. Foram gerados 3,7 milhões de empregos direitos e indiretos.

A maior parte das árvores é de eucaliptos, que ocupam 5,7 milhões de hectares. Os principais estados produtores são Minas Gerais (24%), São Paulo (17%) e Mato Grosso do Sul (15%). Outra espécie de árvore, pinus, ocupa 1,6 milhão de hectares, sendo 42% no Paraná e 34% em Santa Catarina.

Segundo Elizabeth de Carvalhaes, presidente da Ibá, o Brasil é o maior produtor de celulose de fibra curta de eucalipto do mundo, devido ao alto grau de desenvolvimento da genética arbórea no país. “As árvores plantadas no Brasil têm a maior produtividade do mundo, de 36 metros cúbicos de madeira por hectare ao ano”, disse a presidente.

Publicidade