Jornada de Turismo Social inicia segunda-feira em Florianópolis

Publicidade

Assessoria

Florianópolis, um dos melhores destinos turísticos do país, sedia a II Jornada de Turismo Social, realizada pelo Sesc em Santa Catarina, nos dias 09 e 10 de outubro de 2017, no Hotel Sesc Cacupé. Com o tema “Turismo e Sustentabilidade Ambiental: contribuições, paradoxos e desafios para o desenvolvimento sustentável”, o evento propõe uma reflexão sobre a atividade turística como uma estratégia eficaz de conscientização e preservação ambiental. O objetivo é ampliar a compreensão do conceito de Turismo Sustentável e compartilhar boas práticas que valorizam o aspecto inclusivo, humanista e sustentável. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas online pelo site www.sesc-sc.com.br/jornada até 06/10.

Publicidade

A Jornada de Turismo Social do Sesc está em sintonia com o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, proclamado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em reconhecimento ao setor. “Enquanto atividade produtiva, o turismo possibilita a geração de empregos e renda aos segmentos envolvidos, ampliando oportunidades de ocupação e de inclusão de trabalhadores e de seus ofícios. À medida que as pessoas viajam, o diálogo e o entendimento são ampliados, bem como, a edificação da unidade na diversidade de cultura e de valores dos povos que se encontram”, declara Andréia Gouvêa Calian, gerente de Turismo Social do Sesc em Santa Catarina.

A programação trará pesquisadores e profissionais com expertise na área, para ministrar workshops sobre temas atuais voltados à atividade turística e painéis sobre ética, bem comum e meio ambiente, que vão traçar paralelos entre conceito e a prática do turismo sustentável. Também serão apresentadas experiências inovadoras, que ilustram o enfoque ambiental praticado em diversos segmentos do turismo.

A abertura será com palestra do Prof. Dr. Júlio Mendes, da Universidade do Algarve, de Portugal, no dia 09 de outubro, às 9h30. O especialista abordará algumas ações que o país lusitano – enquanto destino turístico Europeu – vem empreendendo para estabelecer sinergias com as propostas do Ano Internacional de Turismo Sustentado para o Desenvolvimento, ampliando qualidade de vida de residentes e de visitantes. No mesmo dia, das 14h às 18h, o Painel “Experiências inovadoras” apresenta os cases de sucesso do Museu Comunitário Engenho do Sertão: saberes tradicionais (Bombinhas – SC); Ecomuseu Ribeirão da Ilha (Florianópolis – SC); A experiência de Turismo Eco-cultural da Rede TobTerra: Turismo de Observação de baleias por Terra (Garopaba – SC); Projeto Viva Ciranda (Joinville – SC); Selo de qualidade no Turismo do Paraná: diferencial competitivo e gestão sustentável para micro e pequenas empresas (Sebrae – PR); Vales da Uva e do vinho Goethe (Urussanga – SC); A Ilha de Porto Belo como modelo de gestão do uso turístico recreativo para a sustentabilidade ambiental de destinos insulares do Brasil (Porto Belo – SC); e Fortalezas da Ilha de Santa Catarina: atuação da Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina na gestão do patrimônio histórico (UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina).

No dia 10/10, o evento abre às 08h30, com a mesa redonda “O turismo no Sesc: transformação social para um mundo mais sustentável”, em que serão apresentados projetos inovadores desenvolvidos pelos Departamentos Regionais do Sesc na região Sul e São Paulo. Às 10h, o painel “Ética, bem comum, meio ambiente e turismo sustentável”, com participação da Profa. Dra. Helena Araújo Costa (UNB), do Prof. Dr. Helio Hintze (Fazer Pensar) e do Prof. Dr. Thiago Beraldo Souza (ICMBIO). A programação encerra com Workshops, das 14h às 16h30, com cinco temas diferentes: Ecomuseu; Turismo e Tecnologia da Informação e Comunicação: Desafios e Oportunidades; Turismo e Educação Ambiental; Ecogastronomia; e Indicadores de competitividade para o turismo.

+ Sobre o Turismo Social Sesc

Por meio do programa de Turismo Social, o Sesc elabora e promove atividades turísticas, com foco na democratização, para que as pessoas possam conhecer novos lugares e culturas, mas principalmente que possam aprender e se desenvolver por meio das experiências de viagem e convívio com outros realidades. Em Santa Catarina, a Instituição conta com três meios de hospedagem: o Hotel Sesc Cacupé, de frente para o mar em Florianópolis, o Sesc Pousada Rural em Lages, na Serra catarinense e o Hotel Sesc em Blumenau, na mais alemã das cidades brasileiras. Também promove passeios e excursões com saída das Unidades para destinos regionais, nacionais e internacionais. O programa vai além das visitas convencionais aos pontos turísticos, promovendo em todas as suas programações o enriquecimento cultural, educacional, histórico e a integração dos grupos.

PROGRAMAÇÃO II JORNADA DE TURISMO SOCIAL SESC:

09 DE OUTUBRO

08h: Credenciamento

09h: Cerimônia de abertura

09h30: Painel “2017 – Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento. A experiência de Portugal para a melhor gestão dos destinos.” Ministrante: Prof. Dr. Júlio Mendes (Universidade do Algarve / Portugal)

12h: Almoço no Hotel Sesc Cacupé (por adesão c/ valor de comerciário)

14h às 18h: Painel Experiências inovadoras:
– Museu Comunitário Engenho do Sertão: saberes tradicionais (Bombinhas – SC)
– Ecomuseu Ribeirão da Ilha (Florianópolis – SC)
–  A experiência de Turismo Eco-cultural da Rede TobTerra: Turismo de Observação de baleias por Terra (Garopaba – SC)
– Projeto Viva Ciranda (Joinville – SC)
– Selo de qualidade no Turismo do Paraná: diferencial competitivo e gestão sustentável para micro e pequenas empresas (Sebrae – PR)
– Vales da Uva e do vinho Goethe (Urussanga – SC)
– A Ilha de Porto Belo como modelo de gestão do uso turístico recreativo para a sustentabilidade ambiental de destinos insulares do Brasil (Porto Belo – SC)
– Fortalezas da Ilha de Santa Catarina: atuação da Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina na gestão do patrimônio histórico (UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina)

16h30: Coffee Break

10 DE OUTUBRO

08h30: Mesa redonda “O turismo no Sesc: transformação social para um mundo mais sustentável”. Apresentação de projetos inovadores desenvolvidos pelos Departamentos Regionais do Sesc na região Sul e São Paulo.

10h: Painel “Ética, bem comum, meio ambiente e turismo sustentável”. Participantes: Profa. Dra. Helena Araújo Costa (UNB), Prof. Dr. Helio Hintze (Fazer Pensar), Prof. Dr. Thiago Beraldo Souza (ICMBIO)

12h: Almoço no Hotel Sesc Cacupé (por adesão c/ valor de comerciário).

14h às 16h30 | Workshops:

– Ecomuseu, com Yolanda Flores (Docente e Pesquisadora da Univale)
• A concepção e a organização de um Ecomuseu;
• As bases de formação do MCES;
• As bases de sustentação econômica do MCES;
• As bases de atuação e resultados obtidos nos últimos 10 anos no MCES.

– Turismo e Tecnologia da Informação e Comunicação: Desafios e Oportunidades, com Alexandre Biz (Professor da UFSC)
• Histórico da relação entre o turismo e as tecnologias da informações e comunicação;
• Impactos no processo de distribuição, gestão de empresas e de destinos turísticos;
• Comportamento do Consumidor – geração X, Y e Z;
• Governança Eletrônica; Destinos Turísticos Inteligentes;
• Turismo e Engenharia e Gestão do Conhecimento.

– Turismo e Educação Ambiental, com Anelise Falk (Coordenadora do Programa de Turismo Rural Comunitário “Viva Ciranda”)

A sociedade tem enfrentado um grande desafio a respeito das questões ambientais e dos limites dos recursos naturais suportáveis pelo meio ambiente. Dentro desse contexto tem buscado refletir acerca dos impactos negativos potenciais, sociais e ambientais da atividade turística, confrontando Educação Ambiental e Educação Turística, como temas complementares que contribuem com um planejamento mais sustentável do turismo.

Trata-se de uma temática ainda pouco explorada, mas que merece uma discussão aprofundada, considerando que o turismo pode sim ser um meio efetivo de educar ambientalmente a população e, ao mesmo tempo, fazer uso das ferramentas da Educação Ambiental em seu próprio benefício.

A educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não formal.

O workshop pretende discorrer a respeito da relação existente entre turismo, educação ambiental e a mudança de comportamento. Ao elevar a conscientização e o engajamento de crianças em temas ambientais, o projeto Viva Ciranda tem alcançado ótimos resultados para o Desenvolvimento Local Sustentável. É um dos projetos de maior relevância no segmento de turismo rural de Joinville e é referência para profissionais e estudantes da área, de diversas regiões do País.

– Ecogastronomia, com Bernardo Simões (Consultor em Gastronomia. Cozinheiro da Rede Slow Food Brasil)
A busca por hábitos saudáveis na alimentação é uma forte tendência em processo de consolidação e constante crescimento. A preocupação sobre a origem e os processos que os alimentos foram submetidos antes de chegar à mesa está diretamente ligada ao aumento do consumo de produtos orgânicos que auxiliam na direção de uma alimentação mais saudável, limpa e justa. Desse modo, a Ecogastronomia aliada ao conceito do Slowfood gera uma mudança social e bem viver ao valorizar o alimento como cultura e defesa dos saberes, modos de vida e formas de produção.

– Indicadores de competitividade para o turismo, com Aldo Cesar Carvalho e Rafael Andreguetto (Consultores do Sebrae Paraná)
Nesse workshop serão apresentados os projetos de Turismo executados pelo Sebrae PR, o Turismo MICE, Selo de Qualidade no Turismo e Paraná Turístico 2026, em parceria com as principais entidades e do setor turístico como UFPR, Paraná Turismo, Paraná Conventions, Fecomércio PR, ABIH PR, ABAV, PR, ABEOC PR e ABRASEL PR.

Todos os projetos tem como focos estratégicos principais a ampliação da competitividade das empresas participantes e a melhoria do ambiente onde atuam essas empresas. A ampliação da competitividade empresarial está pautada em cinco pilares: Gestão, Sustentabilidade, Inovação, Qualidade e Mercado. Esses temas estão interconectados, porém cada um exige indicadores de desempenho distintos, visando acompanhar a evolução das empresas participantes.

Já na melhoria do ecossistema turístico do Paraná os focos são as organizações das governanças, a capacitação e qualificação dos entes que as compõem nas 14 regiões turísticas do Estado. Da mesma forma, a execução é baseada em indicadores. O objetivo final é a ampliação da competitividade do destino Paraná, respeitando as características e vocações turísticas de cada uma.

Publicidade