Os números da economia do Brasil e de Santa Catarina e as perspectivas de retomada do crescimento econômico no país foram apresentados pelo ministro da Fazenda Henrique Meirelles, em palestra, na tarde desta sexta-feira, na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). O governador Raimundo Colombo acompanhou a palestra que contou também com a entrega, pelo presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, da agenda estratégica da indústria catarinense – documento que aponta ações para fortalecer o crescimento sustentável do setor.

O anfitrião do evento e presidente da Fiesc abriu o encontro falando dos impactos da crise sobre o setor produtivo, que representa 29% da riqueza gerada em Santa Catarina com aproximadamente 735 mil trabalhadores formais. Côrte citou que mesmo em meio à recessão, o Estado conseguiu indicadores acima da média do país, entre eles, taxa de 6,7% de desocupação – praticamente metade da média nacional que passa dos 12%, crescimento das exportações de 14,5%, crescimento acumulado da indústria entre janeiro a setembro de 2017 de 3,1% e o saldo positivo na geração de empregos. Do início do ano até agora, Santa Catarina gerou mais de 40 mil vagas de trabalho com carteira assinada.

Publicidade

“Tivemos recuos significativos sobre a nossa atividade industrial, mas fomos resilientes, nos tornamos o segundo Estado mais competitivos do país em 2017, isso se deve, principalmente, à nossa diversidade setorial e à criatividade, determinação e muito trabalho dos catarinenses”, apontou Côrte, chamando a atenção para a agenda estratégica da indústria entregue ao ministro, pedindo apoio do Governo Federal para demandas como infraestrutura de transporte, para a redução dos custos de logística, acesso a crédito, entre outros.

Na sequência, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou os números da economia brasileira. Segundo o ministro, o Brasil superou sua pior recessão econômica ao longo da história, mas agora, os indicadores apontam para a retomada do crescimento. Meirelles aponta como conquistas decisivas da política do atual Governo: a redução da inflação acumulada em 12 meses, de 9,3% em maio de 2016 para 2,7% em novembro de 2017; a redução nos juros, no mesmo período, de 14,25% para 7,5% e o crescimento do PIB que em maio de 2016 era de -5,4% e agora voltou a ser positivo 1,1%. A reforma do teto de gastos também foi apontada pelo ministro como fundamental para a redução das despesas públicas federais, com a diminuição do tamanho do Estado.

“O país está crescendo em um ritmo forte, já saímos da recessão. Estamos trabalhando no sentido de fazer com que o Brasil deixe pra trás essa crise. Isso é importante também sob o ponto de vista social, com a criação de empregos. Cada vez mais vamos oportunizar o trabalho, a melhora de salário, aumentar a capacidade de contratação das empresas e esse ciclo trará, de fato, o crescimento para o nosso país”, disse o ministro.

Depois de conceder entrevista coletiva, o ministro e o governador Raimundo Colombo visitaram a sede da Exact Sales, em Florianópolis, que produz softwares para ajudar as empresas a acelerarem suas vendas. A empresa é um case de sucesso, foi apoiada pelo Governo do Estado por meio de projetos de incentivo às tecnologias inovadoras e hoje conta com 100 colaboradores e tem clientes espalhados em todo o país. “Exemplos como esse são uma mostra do crescimento vigoroso de Santa Catarina, que, em muitos indicadores, supera a tendência nacional. Isso inspira e ajuda o Brasil”, disse Henrique Meirelles.

“É um reconhecimento ao que estamos conseguindo fazer em Santa Catarina, vencendo muitos desafios. A partir desse exemplo, uma empresa jovem, de sucesso, que está gerando empregos, o ministro pode perceber o que está acontecendo com muitos catarinenses. Nossos números são bons, nós alcançamos bons resultados e vamos crescer ainda mais em 2018”, concluiu o governador.

Publicidade