Coluna Entrelinhas/Alexandre Alves

O vice-prefeito Vilson Norberto Alves (PP) assumiu a Prefeitura de Biguaçu esta semana e ficará no comando do município por 30 dias, durante férias do titular Ramon Wollinger (PSD). É a segunda vez que ele torna-se prefeito em exercício em menos de 14 meses. A primeira foi logo após as eleições de 2016, quando era presidente da Câmara e o cargo de vice-prefeito estava vago. São boas oportunidades para o pepista ir “testando” sua popularidade e também sua aceitação como prefeito, já que pretende concorrer ao cargo nas eleições de 2020.

Publicidade

“Não sou o candidato natural”

Vilson Norberto Alves (Foto: Samira Zampieron)

Articulando candidatura no próximo pleito, Vilson refuta ser considerado o “candidato natural” do grupo político que venceu as três últimas eleições em Biguaçu (Castelo em 2008 e 2012, e Ramon em 2016). Na última disputa, ele recuou de seu projeto para ser vice de Wolinger e muitos entendem que em 2020 seria a vez de Alves encabeçar a chapa.

“Logicamente eu tenho projeto para ser candidato a prefeito de Biguaçu, mas dentro do grupo há bons nomes e lá na frente será o grupo que decidirá”, pontuou, a este colunista.

Publicidade