A tradicional fartura de alimentos nas comemorações de fim de ano é praticamente uma carta branca para o exagero. Como forma de realizar esta extravagância, mas sem peso na consciência, a busca por dietas restritivas, logo após as festas, é vista como alternativa. De acordo com a nutricionista Kátia Terumi Ushiama, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, a escolha pode trazer consequências à saúde.

A ideia, que inicialmente pode parecer eficiente, ocasiona efeitos contrários ao esperado. Nesses casos, o metabolismo desacelera e a volta do peso é uma realidade. A nutricionista explica que esta situação ocorre principalmente em dietas que apresentam longos períodos de jejum ou de exclusão de carboidratos, como as líquidas.

Publicidade

“Este tipo de prática alimentar só deixará o metabolismo mais lento, induzirá a efeitos rebote de peso e a utilização de massa magra, músculo, como fonte energética. Isso, em longo prazo, é extremamente prejudicial à saúde”, reforça.

Manter uma rotina alimentar é a maneira mais adequada de conduzir este período de muita comida, como salienta Kátia Terumi Ushiama. “O ideal é estabelecer um cardápio saudável durante o ano todo e não apenas em um período, uma vez que o organismo não se beneficia de dietas realizadas apenas em curto prazo.”

Caso o exagero não tenha sido evitado, após o réveillon, a especialista indica adotar a alimentação saudável e equilibrada, focando em eliminar as calorias extras provenientes do consumo de álcool, doces e gorduras.

Publicidade