Publicidade

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta terça-feira (16), uma operação contra corrupção na superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em Santa Catarina. Os policiais apuram um esquema envolvendo servidores que acobertavam a adulteração de pescados importados.

Segundo o delegado Thiago Giavarotti, da delegacia da PF em Itajaí, são cumpridos mandados em Florianópolis, São José, Balneário Camboriú, Itajaí, Blumenau, Jaraguá do Sul e Navegantes.

Publicidade

Ainda segundo a PF, as empresas envolvidas da fraude são suspeitas de colocar produtos químicos e água nos pescados para aumentar o peso, prática chamada de ‘oversoaking’. Os pescados são importados da China, das espécies panga, merluza e polaca do Alasca.

A PF expediu 20 mandados de busca e apreensão, 12 de busca pessoal e cinco de suspensão cautelar do exercício das funções públicas. Segundo a PF, dois servidores da direção do Mapa devem ser afastados. Ao todo, 16 pessoas devem ser indiciadas no esquema.

Esquema

A suspeita é que duas grandes empresas importadoras não passavam por fiscalização no país. As importações dos pescados eram desviada para entrepostos frigoríficos de Itajaí, não relacionados à área de pescados. Assim, sem reinspeção, o alimento ingressava fraudado para comercialização.

Servidores perseguidos, empresas protegidas

Ainda conforme a PF, os envolvidos no esquema perseguiam servidores que realizavam a fiscalização corretas de pescados. Esses servidores sofriam procedimentos disciplinares internos e remoções para afastá-los de atuação.

Investigação

De acordo com a PF, a investigação começou há 9 meses no setor de pescados do Vale do Itajaí. A Operação foi batizada de Fugu.

Publicidade