Publicidade

Propostas de objetivos estratégicos para as áreas de turismo, cultura e esporte foram definidas nesta quinta-feira, dia 8, na Fundação Escola de Governo ENA, em Florianópolis, por representantes do Governo do Estado e da sociedade civil organizada. A iniciativa é parte da elaboração do Plano de Desenvolvimento Catarinense para 2030, coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento com apoio da UFSC.

“Esse é um momento fundamental para pensar um planejamento a médio, longo prazo para o Estado de Santa Catarina. É um plano de Estado que está sendo construído. Planejar a curto prazo e executar o mais rápido possível, pois o Estado precisa de respostas rápidas. Mas, ao mesmo tempo, pensar em ações de médio e longo prazo”, comentou o secretário adjunto de Turismo, Cultura e Esporte, Francisco Antônio dos Anjos.

Publicidade

Dados do Ministério do Turismo mostram que o setor turístico cresceu 102% na América do Sul e 19% no Brasil entre 2000 e 2015. Mais da metade dos turistas (51%) vêm ao país a lazer, o que se repete em Santa Catarina. Mas é o turista de negócios e eventos que gera mais renda aos municípios. Florianópolis, por exemplo, aparece como o quinto destino mais procurado no país para sediar eventos internacionais.

“Quando alguma coisa não dá certo, costuma-se dizer que faltou planejamento. Nós estamos ganhando um tempo para parar, refletir para planejar o Estado para 2030”, disse o secretário adjunto de Planejamento, Fabio Botelho.

Aqui os desafios são diminuir a sazonalidade do movimento turístico (maior entre dezembro e março), a concentração na região litorânea (que fica com 70% da renda estadual) e aumentar o gasto diário per capita do turista.

Os participantes do workshop definiram como objetivos estratégicos: desenvolver os potenciais turísticos de Santa Catarina, fortalecer o segmento de turismo de negócios, promover a interiorização do turismo e tornar SC referência em turismo inteligente, com o desenvolvimento de aplicativos e fomento à inovação.

 

 

Publicidade