Publicidade

O prefeito de Antônio Carlos, Geraldo Pauli (PMDB), participou nesta segunda-feira (4) de uma audiência com o comandante geral do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, coronel Onir Mocellin, para buscar informações e alternativas ao funcionamento da unidade no município. Segundo o comandante, não há efetivo no momento para a prestação de serviços de resgate e combate a incêndio na cidade. Participaram da reunião, também, o chefe de gabinete Fábio Luiz Egert e os comandantes das corporações de Biguaçu e São José.

Pauli enfatizou que a maior necessidade de Antônio Carlos é o serviço de resgate com ambulância, pois não há esse atendimento no município: a demanda é acolhida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e Corpo de Bombeiros de Biguaçu.

Publicidade

“Circulam e visitam o município um grande número de pessoas, visitantes que vêm aos parques aquáticos, campos de futebol e às festas. Também é grande a quantidade de veículos que circulam na SC-407, feirantes, caminhões da Femsa (ex-Vonpar), Petrobras e as obras do contorno viário”, justifica.

Foto: Divulgação

O comandante foi sensível aos pleitos do município, mas lamentou não haver solução no momento. Mocellin informou ainda que o Estado está fechando unidades do Corpo de Bombeiros ou fazendo atendimento somente no horário de expediente em virtude da falta de efetivo. O déficit de bombeiros em Santa Catarina é de cerca de 300 soldados.

Leia mais notícias de Antônio Carlos

Uma alternativa discutida na reunião seria deslocar uma ambulância do Samu para o município e trabalhar em parceria com os bombeiros comunitários. O Corpo de Bombeiros assumirá a operação do SAMU a partir fevereiro de 2018.

Publicidade