Moradores de Florianópolis, estudantes e gestores públicos participaram da apresentação da proposta da rede metropolitana de transporte coletivo na UFSC, na noite desta segunda-feira (9). O projeto da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) conta com apoio técnico do Observatório da Mobilidade Urbana da Universidade.

“A ideia é termos um sistema moderno que acompanhe o crescimento da região metropolitana e, na medida do possível, deslocarmos o desenvolvimento para os municípios no continente pois hoje 60% dos empregos estão na capital. Estamos modelando a PPP (parceria público-privada) para viabilizar a infraestrutura do BRT e de novos terminais de integração”, disse o superintendente da região metropolitana da Grande Florianópolis Cassio Taniguchi.

Publicidade

As premissas da proposta são reforçar serviços locais e municipais com estímulo ao desenvolvimento dos municípios, facilitar as conexões entre centralidades (centro de Palhoça, Kobrasol e Campinas e centro de Biguaçu, por exemplo), rever rede de linhas e promover a integração dentro e fora dos terminais de ônibus. Essa é a etapa inicial do projeto Neotrans, executado pelo Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, com apoio da Suderf e aporte financeiro da Fapesc.

“O planejamento vem sendo feito desde 2014, durante a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (Plamus), com implantação de um sistema troncalizador. O projeto Neotrans fez uma revisão de toda a operação de ônibus na região metropolitana e identificou sobreposição de linhas que gera ineficiência no sistema”, destacou o coordenador do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC Werner Kraus Jr.

A perspectiva é que, ao implantar a rede metropolitana de transporte coletivo, haja uma melhora significativa para o usuário. “O sistema metropolitano vai fazer a integração dos oito municípios aumentando a conectividade entre eles, com serviços melhores à população. No futuro a expectativa é integrar esse sistema com o de Florianópolis”, explicou o diretor técnico da Suderf Célio Sztoltz.

A segunda fase do projeto prevê a implantação de corredores exclusivos de ônibus e de terminais de integração em Biguaçu, Palhoça, Barreiros e Forquilhinhas. Além da infraestrutura, a Suderf planeja implantar Sistema de Inteligência Operacional (ITS) e Centro de Controle Operacional (CCO) para supervisionar toda a operação do BRT, por meio de parceria público-privada.

A proposta da nova rede metropolitana já foi apresentada nos municípios de São Pedro de Alcântara, Antônio Carlos, Santo Amaro da Imperatriz, Biguaçu, Águas Mornas, São José e Palhoça com participação de moradores, vereadores, gestores públicos e empresários. A próxima reunião será em Governador Celso Ramos no dia 18 de outubro, às 19h, na APAE.

O mapa com as linhas de ônibus sugeridas está disponível na Internet pelo link http://bit.ly/2ybUi6r.

Publicidade