A produção de morangos em sistema semi-hidropônico suspenso é a mais nova tecnologia da Epagri a integrar a plataforma de boas práticas para o desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ONU). Essa é a nona tecnologia da Epagri a integrar a plataforma, um espaço de disseminação e compartilhamento de iniciativas replicáveis de boas práticas desenvolvidas na região Sul do Brasil.

O sistema difundido pela Epagri tem várias vantagens, entre elas melhor utilização do espaço na pequena propriedade com bons resultados econômicos, adaptação à realidade da mão-de-obra disponível na propriedade e produção em períodos diferenciados das épocas tradicionais. Outro grande diferencial é a produção de morangos com maior qualidade e menor risco de contaminação.

O cultivo de morango em sistema semi-hidropônico suspenso apresenta boa produtividade com rápido retorno econômico. A rentabilidade se destaca. Para cada R$ 1 empregado na atividade, existe um retorno da ordem de R$ 1,04 no primeiro ano e R$ 3,44 no segundo. Outro aspecto importante do sistema é a produtividade, que fica na média de um quilo por planta/ciclo.

Além de lucrar mais, o agricultor também ganha qualidade de vida com a utilização do sistema, graças à otimização de mão de obra e melhor ergonomia. Como o sistema é suspenso, o profissional não precisa se abaixar para lidar diariamente com as plantas. A manutenção de uma postura mais adequada evita dores nas costas e outros problemas associados.

Além das vantagens descritas, a prática é condizente com os preceitos de sustentabilidade. Ela proporciona melhor utilização dos recursos disponíveis, através do uso criterioso e menos intenso de insumos químicos, o que resulta na obtenção de produtos limpos e de qualidade.

De acordo com pesquisadores da área, não se pode precisar onde o sistema começou. São registradas iniciativas no Rio Grande do Sul, no final da década de 1990. A partir de 2001, pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho contribuíram para ajustar a tecnologia de produção. Na região Oeste de Santa Catarina, a Epagri é pioneira na implantação da prática.

O material, que atualmente está disponível em português na plataforma, em breve será traduzido para inglês, espanhol e francês.

Publicidade