O campeonato ano de 2017 da Associação de Clubes de Biguaçu (Asclubig), que terminou no final de outubro, foi um dos melhores dos últimos anos, conforme avaliação da presidente da entidade, Patrícia Garcia. Conforme a gestora, tudo correu dentro da normalidade e com os campos de futebol lotados de torcedores. O Vendaval sagrou-se campeão, tendo o Alambique, da Praia João Rosa, na segunda colocação, Estrela Negra em terceiro e,  Maizumm, em quarto. Ela afirma que o sucesso do certame está diretamente ligado ao convênio de R$ 40 mil realizado com o município, que ajuda a custear o evento. “Esse ano foi um dos melhores dessa parceria entre Asclubig e a Prefeitura. Vamos fechar 2017 sem débitos”, disse, ao Biguá News.

Patrícia pontua que as parcelas foram repassadas em dia, o que possibilitou honrar com parte das despesas, como arbitragem, materiais esportivos e troféus. A associação também fez uma feijoada no começo do ano, o que ajudou a levantar quase R$ 10 mil para dar o pontapé inicial na competição, enquanto a Câmara de Vereadores deliberava sobre o projeto de lei autorizando o Poder Executivo a repassar os recursos. “Também agradeço a todos os vereadores pela aprovação unânime do convênio”.

Publicidade

O campeonato contou com 13 times – todos de Biguaçu – e os jogos foram disputados em vários campos da cidade. Patricia informa que, para o ano que vem, pelo menos cinco equipes aguardam vaga para disputar o campeonato da Asclubig.

“Nós elaboramos o evento conforme a disponibilidade de recursos que temos à disposição, por isso é preciso organizar com uma quantidade limitada de times. Para incluirmos novas equipes precisamos conversar com o município para analisar se há a possibilidade de realizar um convênio com um valor um pouquinho mais alto. Caso contrário, para entrar um novo time é necessário que algum desista de participar em 2018”.

O certame envolve diretamente quase 500 atletas (cada time registra 35 jogadores), treinadores e dirigentes de clubes. Garcia considera que “os campos estiveram lotados de torcedores por ser um evento voltado às famílias biguaçuenses, foi um campeonato muito gostoso”, diz, mostrando-se satisfeita.

Patrícia, que conta com o apoio de seu esposo Rogério Garcia na organização do evento, pondera que ainda não sabe se irá continuar à frente da Asclubig no próximo ano. A eleição deve ser marcada para fevereiro ou março, após o período carnavalesco. O mandato da diretoria é de dois anos. “Pela vontade dos dirigentes dos clubes eu devo permanecer na presidência, mas, isso, nós ainda vamos conversar e analisar”.

Publicidade