Agentes Comunitários de Saúde de Biguaçu participam de capacitação

Publicidade

Da Assessoria

O projeto de Acolhimento e Capacitação em Saúde tem como objetivo acolher os Agentes Comunitários de Saúde (ACS), proporcionando através da psicologia um momento de autoconhecimento e debates sobre a identidade da profissão, além de capacitá-los sobre os problemas de saúde com maior demanda do município.

Continua após a publicidade

A ideia de desenvolver o projeto surgiu a partir de uma pesquisa realizada pela psicóloga do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) com as agentes comunitárias de saúde do município de Biguaçu, que identificou a necessidade de desenvolver um projeto voltado para a saúde mental dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e a capacitação dos mesmos sobre questões de saúde numa perspectiva multidisciplinar, de extrema importância no seu processo de trabalho.

O projeto foi idealizado e desenvolvido em conjunto pela coordenadora da Atenção Básica, Bárbara Cristine Manoel, a gerente técnica em Saúde, Franciely Pacheco, a supervisora de Atenção Básica e Educação Permanente da Secretaria Municipal de Saúde, Mariana Ester Borges Costa, e a psicóloga do NASF, Thais Helena Barbi Perego, além do apoio dos profissionais do NASF, Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Estratégia de Saúde da Família (ESF) e Coordenação do SAMU.

ACS desenvolvem atividades em grupo - Foto Secretaria de SaúdeO prefeito Ramon Wolligner afirma que “a constante capacitação dos funcionários resulta em melhor prestação de serviços públicos aos cidadãos, além disso, estamos valorizando nossos Agentes Comunitários de Saúde, que desenvolvem seu trabalho inseridos nas comunidades, estando em contato direto com nossa população”.

Segundo a coordenadora da Atenção Básica/Isev, Barbara Cristine Manoel, “cobramos dos profissionais a escuta qualificada, porém muitas vezes deixamos de ouvi-los como deveríamos”. Vale ressaltar que o Agente Comunitário de Saúde é o profissional que desenvolve ações que buscam a integração entre a equipe de saúde e a população usuária das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

A capacitação teve início em maio e seu término está previsto para julho. Os encontros são semanais e contam com a participação dos profissionais da rede de saúde do município. Nesses encontros são abordados os mais variados temas, com a finalidade de orientar melhor o ACS sobre as demandas em saúde do município. “Essa capacitação vem a somar e os resultados já obtidos tendem a refletir na melhora dos serviços em saúde oferecidos no município”, destaca Franciely Pacheco, gerente técnica em Saúde.

O secretário municipal de Saúde, Leandro Adriano de Barros, explica que “a Educação em Saúde promove processos formativos estruturados a partir da problematização do seu processo de trabalho, cujo objetivo é a transformação das práticas profissionais e da própria organização do trabalho, tomando como referência as necessidades de saúde das pessoas e das populações, da gestão setorial e o controle social em saúde”.

“A educação permanente em saúde é fundamental no planejamento em saúde, quando pensamos na qualidade das equipes que atendem os munícipes. Estar proporcionando esse projeto a este grupo de profissionais nos deixa contentes, pois envolve autoestima, conhecimento e motivação para fazer um trabalho melhor a cada”, afirma a enfermeira Mariana Ester.

Por fim, a psicóloga Thaís Helena Barbi Perego ressalta que “os ACS nunca tiveram um momento que trabalhasse o desabafo e suas angústias referentes à sua profissão. Percebo que este espaço está proporcionando a união entre os profissionais”.

Publicidade