Animais morrem com suspeita de raiva bovina em Antônio Carlos

Publicidade

Produtores rurais de Antônio Carlos registraram, nos últimos dias, várias mortes de animais com os sintomas típicos de raiva bovina. Diante disso, existe uma forte suspeita de que a zoonose esteja presente no interior do município.

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) coletou material para confirmação de casos. “Para tanto a Cidasc orienta os proprietários de animais para que procurem as pecuárias para vacinarem seus animais. A vacina custa em torno de R$ 2”, informa a Prefeitura Municipal.

Continua após a publicidade

No final do mês de maio, houve confirmação de focos de raiva bovina em Biguaçu e Tijucas, e a Cidasc recomendou que todos os bovinos, suínos e equinos devem ser vacinados no meio rural de Tijucas, Canelinha, Biguaçu, São João Batista e Governador Celso Ramos.

Os produtores rurais devem comprovar a vacinação apresentando a nota fiscal de compra na Cidasc.

A raiva é transmitida por animais domésticos, animais de produção e animais silvestres. A doença ataca o sistema nervoso central, causando mudança de comportamento, paralisia e, em alguns casos, agressividade.

O animal doente elimina o vírus da raiva pela saliva, por isso a recomendação é evitar colocar a mão na boca de cavalos ou bovinos que estejam com dificuldade de locomoção e/ou salivação intensa. Usualmente, a doença é transmitida através da mordida do animal infectado, mas o simples contato entre saliva e feridas abertas, mucosas e arranhões também propaga o vírus.

Caso os animais tenham marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, a Cidasc deve ser comunicada, mesmo que não estejam doentes.

Publicidade