Anitta ganha cadeira no conselho de administração do Nubank e participará de reuniões mensais

Publicidade

A cantora Anitta ganhou uma cadeira no conselho de administração do Nubank, em uma aposta da startup nos conhecimentos da artista em marketing e na construção de marcas no mundo digital. A carioca, que nos últimos anos expandiu a carreira pela América Latina e para os EUA e tem dezenas de milhões de seguidores nas redes sociais, ocupará uma das sete vagas do órgão colegiado.

Segundo o Nubank, Anitta participará de reuniões trimestrais com os demais conselheiros e com a diretoria da fintech, e discutirá decisões estratégicas do negócio. O banco digital espera se utilizar dos conhecimentos da cantora para interagir com o público que não tem acesso aos serviços financeiros tradicionais, mas que tem familiaridade com ferramentas digitais. Com 40 milhões de clientes, o Nubank cresceu exponencialmente desde sua criação, em 2013, justamente pelo foco nesse filão de mercado.

Continua após a publicidade

Anitta afirma ter aceitado o convite do Nubank pelo direcionamento dos produtos da fintech. “É muito chato e constrangedor não conseguir ter acesso a produtos financeiros. Muita gente na América Latina sempre viveu de emprego informal. Como essas pessoas vão ter histórico de crédito?”, afirmou a cantora, em nota.

Carreira nos EUA

Com a chegada da artista, o banco agrega ao conselho um nome conhecido nas redes sociais, com público jovem e apelo internacional. A cantora deve lançar nos próximos meses o álbum Girl from Rio, direcionado ao mercado internacional, em especial o americano, mas já faz sucesso fora do Brasil desde meados da última década. O Nubank também mira os Estados Unidos: deve fazer sua estreia no mercado acionário americano nos próximos 12 meses.

“A Anitta tem muita experiência em estratégias vencedoras de marketing”, diz o presidente executivo e fundador do Nubank, David Vélez. “Nenhum outro conselheiro possui essa experiência.”

O conselho do Nubank conta hoje com Anita Sands (ex-UBS), Jacqueline Reses (presidente do conselho consultivo econômico do Fed, o Banco Central americano), Daniel Goldberg (ex-Morgan Stanley), Luiz Alberto Moreno (ex-BID), Doug Leone (da Sequoia) e com o próprio Vélez.

Avaliado em mais de US$ 30 bilhões, Nubank atingiu a marca dos 40 milhões de clientes e afirma ser o maior banco digital independente do mundo.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Publicidade