Assinados os primeiros contratos do Programa de Melhoramento da Piscicultura

Publicidade

Assessoria

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca,  Moacir Sopelsa, assinou três contratos de financiamentos para agricultores de Santa Rosa de Lima e Rio Fortuna, num valor total de R$ 7.455,25. Os recursos serão utilizados para aquisição de kits com equipamentos básicos para o acompanhamento das condições do cultivo de peixes de água doce. Sopelsa anunciou ainda investimentos de mais de R$ 5 milhões para a execução do programa até 2017, beneficiando 1,5 mil produtores em todo o estado.

Continua após a publicidade

Durante o evento em Braço do Norte, os produtores rurais das regiões de Braço do Norte, Tubarão e Laguna puderam conhecer o novo programa da Secretaria da Agricultura e da Pesca, que visa fomentar e profissionalizar a piscicultura em Santa Catarina. O secretário da Agricultura, Moacir Sopelsa, ressaltou a importância da produção de peixes de água doce como uma alternativa de renda para os produtores da região. “Os agricultores devem agregar valor ao que é produzido na sua propriedade e a piscicultura traz essa diversificação. O setor tem grande potencial para crescimento e deve se tornar uma fonte de renda importante para os produtores”, afirmou.

Através do programa, os agricultores terão acesso a um kit no valor de R$ 3.750,00 com equipamentos necessários para a produção de peixes de água doce. Os piscicultores beneficiados terão prazo de dois anos para pagar, sem juros. Caso o produtor pague à vista na data de vencimento da primeira parcela, terá um desconto de 60% sobre o valor da segunda parcela. Sopelsa fez questão de destacar também o trabalho dos agricultores em prol do desenvolvimento do Estado. “Se hoje somos o quinto maior produtor de alimentos do país é por causa do trabalho incansável dos agricultores, combinado aos incentivos do Governo do Estado e da iniciativa privada. São pessoas que lutam pelo desenvolvimento do meio rural catarinense”, disse.

O programa surgiu a partir de uma reunião entre a Secretaria de Desenvolvimento Regional de Braço do Norte, da Gerência Regional da Epagri de Tubarão e da Secretaria da Agricultura. O secretário Regional Roberto Kuerten Marcelino acredita que o programa irá trazer um salto na produtividade de peixes de água doce em todo o Estado. Na região de Braço do Norte, a expectativa é aumentar a produção de peixes de 4,2 mil para 10 mil toneladas por ano, além de profissionalizar os produtores.

Segundo o gerente regional da Epagri de Tubarão, Gustavo Claudino, num primeiro momento, a intenção é transformar os produtores amadores em produtores comerciais. “Certamente, daqui a alguns anos, a região será referência na produção de peixes de água doce”. Claudino lembrou ainda que os piscicultores interessados em participar do programa podem procurar os escritórios municipais da Epagri.
Piscicultura em Santa Catarina

Santa Catarina é o quinto maior produtor de peixes de água doce do país. Segundo relatório do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca da Epagri (Epagri/Cedap), em 2014, o estado produziu 40.324 toneladas de peixes de água doce, um crescimento de mais de três mil toneladas em relação ao ano anterior.
Atualmente, grande parte dos piscicultores atua de forma amadora, ou seja, produzindo por lazer e com vendas eventuais. Mas, mesmo em menor número, os piscicultores profissionais respondem por 61% do total produzido, já que empregam tecnologia de ponta. São 26.493 produtores amadores que produziram 15.613 toneladas em 2014. E 3.433 profissionais, que vendem de forma sistemática e regular, foram responsáveis por 24.709 toneladas, gerando diretamente R$ 182 milhões. As espécies mais produzidas são tilápias (66,9%) e carpas (25,5%).

Publicidade