Atriz Marília Pêra morre aos 72 anos

Publicidade

UOL

marilia-peraA atriz Marília Pêra, 72 anos, morreu neste sábado de manhã, em sua casa, no Rio de Janeiro. A atriz se tratou recentemente de um desgaste ósseo na região lombar, que a fez se afastar da TV e dos palcos por um ano. O velório começa às 13h no Teatro Leblon, na Sala Marília Pêra.

Continua após a publicidade

Recentemente, a jornalista Hildegard Angel noticiou em seu blog que Marília estava com câncer. De acordo com ela, a saúde da atriz inspirava “cuidados extremos” e estava respirando com ajuda de um balão de oxigênio.

A informação foi negada por familiares, que admitiram apenas que Marília estaria novamente se recuperando em casa de um desgaste no fêmur, doença que a afastou do seriado “Pé na Cova”, em 2014.

Além de atuar, Marília era cantora, bailarina, diretora, produtora e coreógrafa. Ao longo de sua carreira, fez mais de 50 peças de teatro, 30 filmes e 40 novelas, programas de TV e minisséries, a última delas “Pé na Cova”, de Miguel Falabella, na Rede Globo.

Marília retornou ao seriado “Pé na Cova” este ano e atualmente dirigia um espetáculo teatral sobre a atriz americana Marilyn Monroe, interpretada por Danielle Winits.

Dama do teatro brasileiro

Filha dos atores Manuel Pêra e Dinorah Marzullo, Marília Pêra pisou no palco de um teatro pela primeira vez aos quatro anos de idade, ao lado dos pais. Dos 14 aos 21 anos atuou como bailarina e participou de musicais e revistas, entre eles, uma versão de “My Fair Lady” protagonizado por Bibi Ferreira em 1962. Fez 28 filmes, entre novelas e minissérie foram 38, mas foi no teatro sua maior produção na carreira: aproximadamente 56 espetáculos, entre dramas, comédias e musicais.

Famosa por suas interpretações de personalidades como a soprano Maria Callas, a cantora Dalva de Oliveira e a estilista Coco Chanel no teatro, Marília se especializou no papel de Carmem Miranda, a quem interpretou cinco vezes.

A primeira foi em “O Teu Cabelo Não Nega” (1963), uma biografia de Lamartine Babo. Depois no espetáculo “A Pequena Notável” (1966); “A Tribute to Carmen Miranda”, no Lincoln Center, em Nova York (1975), dirigido por Nelson Motta (que também foi seu marido); “A Pêra da Carmem”, em 1986 e em 1995; e o musical “Marília Pêra canta Carmen Miranda” (2005), dirigido por Maurício Sherman.

Sua interpretação de “Mademoiselle Chanel” também foi muito elogiada pela crítica, inclusive a francesa. A atriz se apresentou em Paris de 24 de junho a 2 de julho de 2005 e, segundo reportagem do jornal “O Estado de S.Paulo”, foi aplaudida de pé pelos parisienses em todas suas apresentações, em português com legenda em francês.

Seus dotes de cantora também eram notáveis fora do teatro musical. Em 1964, Marília derrotou ninguém menos que Elis Regina em um teste para o musical “Como Vencer na Vida sem Fazer Força”. “Minha voz não era melhor do que a da Elis, mas eu tinha experiência. No mundo, nunca vi ninguém cantando como ela.”

Publicidade