Avaí e Figueirense ficam no empate por 1 a 1

Publicidade
André Podiacki – Diário

Nas 24 horas que antecederam o clássico 409 entre Avaí e Figueirense choveu aproximadamente 41mm, bastante água, o que fez o gramado da Ressacada ficar encharcado e com muitas poças. Esse talvez seja o principal motivo para o jogo amarrado nesta tarde de domingo. O campo pesado prejudicou o talento. Assim, jogadores como Marquinhos Santos e Ricardinho ficaram limitados à bola parada.

Emoção mesmo só no primeiro tempo quando o capitão alvinegro Marquinhos abriu o placar e o atacante azurra Anderson Lopes empatou com um golaço. Ao apito final, o 1 a 1 foi justo pela produção das equipes. O que mais valeu apena até o fim da partida foi o clima amistoso no estádio e sem confusões.

Continua após a publicidade

A drenagem da Ressacada não conseguiu segurar a quantidade de água das chuvas. Por isso, houve um grande acúmulo no gramado que prejudicou o jogo. No início da partida diversas foram às vezes que a bola ficou parada no campo enganando os jogadores.

Se a bola não rola, a solução era apostar nos lances como escanteios e faltas. E foi assim que o Furacão abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. Ricardinho cobrou escanteio e o capitão Marquinhos abriu o placar em falha do goleiro Vagner.

O gol do Furacão deu força a equipe de Argel Fucks. O técnico teve muito problemas com lesões e um dia antes do jogo perdeu o volante França, impedido de entrar na Ressacada por causa de uma medida cautelar da Justiça, pedida pela delegada Michele Alves Corrêa na sexta-feira para que o atleta não estivesse no estádio para evitar uma confusão.

Criado na base do Avaí, Anderson Lopes jogou pela quarta vez um clássico. No primeiro foi expulso ainda no primeiro tempo. Depois ele aprendeu que os ânimos têm que ser contidos neste jogo e por isso no primeiro encontro entre a dupla na Copa do Brasil ele marcou o gol da vitória azurra.

Neste domingo, mais uma vez ele foi decisivo. Depois de receber um passe de André Lima na entrada da área, o camisa 11 apenas ajeitou a bola e chutou forte. A bola foi no ângulo, sem chance para Alex Muralha. Gol de empate do Leão aos 35 minutos do primeiro tempo.

O segundo tempo foi de muitas chances, mas todas no abafa avaiano no fim do segundo tempo, quando o reestreante William entrou em campo.

No último lance da partida, Eduardo Costa foi puxado dentro da área. O atletas azurras saíram reclamando do lance.

— Foi pênalti. Tem que marcar o que é certo. Se isso não é pênalti, a minha mãe é o que? — reclamou o capitão azurra Marquinhos na saída do campo, fazendo referência a uma famosa frase do comentarista Miguel Livramento.

Agora o Figueirense tem oito pontos na classificação da Série A e está na 15ª posição. Com 11, o Leão está em nono.

Publicidade