Avançam acordos na Anac para homologação do aeroporto em SC

Publicidade

O Governo do Estado e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estão avançando nas tratativas para garantir a homologação do Aeroporto Regional do Planalto Serrano, no município de Correia Pinto. Para tratar das pendências existentes, o governador Raimundo Colombo participou de audiência com o presidente da Anac, José Ricardo Pataro Botelho de Queiroz, na tarde desta quarta-feira, 22, em Brasília.

“Chegamos na última etapa, estamos concluindo as obras necessárias, incluindo todas as medidas de segurança. Acredito que dentro de três ou quatro meses, estaremos com o aeroporto pronto para ser homologado, o que é uma grande notícia que vai contribuir para o desenvolvimento de toda a região”, avaliou Colombo.

Continua após a publicidade

“Qualquer país do mundo, com uma dimensão territorial como a do Brasil, só se desenvolve com a promoção da aviação regional”, acrescentou o presidente da Anac, José Queiroz, sinalizando com a participação pessoalmente da inauguração do novo aeroporto catarinense.

A empresa Telear Tecnologia em Aeroportos, sediada em Porto Alegre (RS) e com 30 anos de experiência em todo o Brasil, é responsável pelos serviços que deixarão o empreendimento pronto para operar e também pelo processo de homologação do aeroporto junto aos órgãos federais competentes.

Os primeiros pedidos foram protocolados em 2015 pelo Governo do Estado. Em agosto de 2016, o governador Colombo recebeu o parecer favorável do comando da Aeronáutica e, em setembro do mesmo ano, o aeroporto de Correia Pinto passou por uma vistoria de técnicos da Anac. Essa vistoria identificou algumas pendências, que estão sendo sanadas. Entre elas, está a questão envolvendo a chamada Resa (Runway End Safety Area), áreas de escape localizas no final das pistas nos aeroportos do país operados pela Infraero, prefeituras e governos estaduais.

Estas áreas tem o objetivo de reduzir o risco de dano à aeronave em casos de pouso com toque antes da cabeceira e ultrapassagem da cabeceira oposta, bem como facilitar a movimentação de equipes de salvamento e de combate a incêndio. A proposta é retirar uma parte da pista prevista para Correia Pinto, que teria 1.800 metros homologados, para reservar como Resa. A ideia inicial é reservar 90 destes 1.800 metros para a área de escape. As equipes técnicas de Santa Catarina agora deverão oficializar a proposta de mudança em documentação, o que não deve comprometer o andamento do processo junto à Anac.

Também acompanharam a reunião no ministério, o secretário executivo de Articulação Nacional, Acélio Casagrande, e a secretária adjunta Lourdes Martini; além de equipes técnicas da Anac e do Governo do Estado.

Publicidade