Balanço 2016 demonstra evolução econômica da Casan

Publicidade

A Casan divulgou nesta segunda-feira, 17, seu balanço financeiro e o relatório anual de atividades 2016, período em que a companhia obteve receita operacional recorde de R$ 1 bilhão – valor 15% superior ao apurado no exercício anterior.

A companhia apresentou crescimento significativo no lucro líquido, que passou de R$ 10,9 milhões para R$ 28,3 milhões (acréscimo de 159%). São também destaque do período os recursos aplicados nos sistemas de água e esgotamento sanitário, que chegaram a R$ 240,1 milhões. O plano de ação da Casan para o período 2017 a 2021 prevê R$ 1,5 bilhão em investimentos.

Continua após a publicidade

“Os indicadores demonstram a evolução do desempenho econômico da companhia, que teve melhorias na receita, nos resultados, na rentabilidade patrimonial e nas margens apuradas”, avalia o diretor financeiro e de Relação com os Investidores, Laudelino de Bastos e Silva. Os números positivos do novo balanço são resultado de um aumento de 1,7% no número de economias de água e de 6,3% no número de economias de esgoto – área em que a Casan tem atualmente seu foco de investimentos.

De acordo com o diretor, um dos destaques é a margem operacional, indicador que demonstra quanto das receitas líquidas são provenientes de vendas e serviços das atividades da própria companhia. Em contrapartida, o endividamento da Casan foi elevado e a liquidez reduzida. “Esse cenário reflete o movimento de ampliação do atendimento da Casan, já que boa parte dos investimentos está sendo realizada com recursos financiados em instituições nacionais e internacionais, como a Agência Francesa e a Agência Japonesa”, explica o diretor.

A Casan obteve também em 2016 crescimento do número de municípios que assinaram Contrato de Programa, como determina a Lei Federal 11.445/200& (a chamada Lei do Saneamento), regularizando juridicamente sua relação com a companhia. De acordo com o balanço de 2016, 60% da receita da concessionária já é proveniente de municípios em que foram assinados Contratos de Programa.

“Esse instrumento, que substitui os contratos de concessão, representa um avanço institucional, pois garante solidez para o negócio e segurança para os investimentos, por assegurar a permanente prestação dos serviços, de modo planejado, através da operacionalização e execução das metas e ações que constam nos Planos Municipais de Saneamento Básico”, informa o diretor-presidente da companhia, Valter Gallina.

“Apesar da crise no país, a Casan vem conseguindo superar os obstáculos graças à dedicação, apoio e empenho de seus colaboradores, do corpo diretivo, do Governo do Estado, dos acionistas, clientes, fornecedores e demais parceiros, que ao longo do tempo vêm ajudando a Casan a consolidar uma posição de destaque no cenário nacional e angariar, ainda mais, credibilidade junto à opinião pública catarinense”, complementa o diretor-presidente.

Com um quadro funcional de 2,6 mil colaboradores, a Casan opera 231 Sistemas de Abastecimento de Água e 38 Sistemas de Esgotamento Sanitário, atendendo mais de 2,8 milhões de pessoas em 197 municípios catarinenses e um paranaense. Fornece também água para outros quatro municípios clientes, atendendo mais 198 mil pessoas.

Publicidade