Barragem rompe e 45 pessoas estão desaparecidas em Minas Gerais

Publicidade

Estadão

Imagem: Corpo de Bombeiros
Imagem: Corpo de Bombeiros

Uma barragem de contenção de rejeitos na empresa de mineração Samarco se rompeu, por volta das 16 horas desta quinta-feira (5), atingiu o distrito de Bento Rodrigues, município de Mariana (MG).

Continua após a publicidade

O Corpo de Bombeiros de Mariana confirmou às 19h30 terem sido resgatados os corpos das duas primeiras vítimas do rompimento da barragem.

Um dos corpos, de um homem, foi levado para o Instituto Médico Legal de Mariana. O outro, também de um adulto, ainda está no distrito. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o número de vítimas pode ser elevado, pois há muitas pessoas soterradas.

Bombeiros de Mariana e Ouro Preto, cidades vizinha, deslocaram-se para o local, mas algumas áreas estão sem acesso. O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Extração de Ferro e Metais Básicos de Mariana (Metabase) informou que entre 14 e 15 pessoas podem ter morrido e outras 45 estariam desaparecidas.

A informação não era confirmada pelo Corpo de Bombeiros de Mariana por falta de contato com a equipe que está no local. Já o promotor Carlos Eduardo Ferreira Pinto, coordenador de Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, que está na região, disse haver pelo menos dez desaparecidos. “A situação é catastrófica, muito delicada”, disse. Três helicópteros dos bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil seguiram para a região. Havia confirmação de pessoas soterradas e ilhadas pela lama.

Moradores das regiões de Paracatu e Paracatu de Baixo estavam sendo avisados para deixarem as casas, pois havia risco de serem atingidas pela lama de rejeitos.

A Samarco divulgou nota informando ter ocorrido o rompimento da barragem Fundão, na unidade de Germano, nos municípios de Ouro Preto e Mariana. A empresa informou ter mobilizado todos os esforços para priorizar o atendimento às pessoas e a mitigação de danos ao meio ambiente.

As autoridades foram informadas e as equipes estão no local prestando assistência. “Não é possível, neste momento, confirmar as causas e extensão do ocorrido, bem como a existência de vítimas.” Por segurança, a empresa pediu que se evitem o deslocamento de pessoas para o local, exceto as equipes envolvidas no atendimento de emergência.

Publicidade