Biguaçu gera 1064 novas vagas de empregos entre janeiro e maio deste ano

Publicidade

Da Assessoria – Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) apontam para o crescimento no número de empregos formais gerados em Biguaçu entre os meses de janeiro e maio de 2021. De acordo com relatório emitido na quinta-feira (01), pelo Ministério da Economia, foram 1.064 vagas ocupadas no município.

No mesmo período o estudo indica a abertura de 1.356 novas empresas na cidade, fator que contribui para o aumenta da oferta de empregos. Os dados apontam para a melhora da economia no município após a crise provocada pela pandemia de COVID-19.

Continua após a publicidade

O setor que mais gerou emprego em Biguaçu foi a construção civil, com o preenchimento de 522 vagas, seguido da indústria com 192, serviços com 187, comércio com 148 e por último a agropecuária com 15.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, André Leal, atribui o destaque da construção civil à “continuidade das atividades durante a pandemia e ao aumento da procura pelos serviços de reformas residenciais e construção de novos imóveis, cenário que também favoreceu a retomada e fomentação do comércio local”.

Para o prefeito Salmir da Silva, “os dados mostram que o nosso município está retomando fôlego após a crise provocada pelo Coronavírus, que gerou e ainda gera fortes impactos econômicos e sociais. Biguaçu é uma das cidades que oferece as melhores oportunidades para a instalação de empresas e geração de emprego e renda da região, possuindo uma localização estratégica próximo da Capital e de portos, além do fácil acesso via BR-101”.

Programas municipais de incentivo

A Prefeitura de Biguaçu, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, atua em duas frentes para o incentivo à criação e formalização de empresas e no preenchimento de vagas de emprego no município. Tratam-se do Programa Domicílio Fiscal e do Programa Pró-Emprego.

O Programa Domicílio Fiscal tem o objetivo de desenvolver e regularizar as empresas e profissionais autônomos prestadores de serviços não estabelecidos quanto ao Cadastro Mobiliário Municipal e atrair novos investimentos. Essa iniciativa visa estimular a formalidade das atividades econômicas, permitindo ao prestador a possibilidade de emissão de notas fiscais de serviços e de otimização do tempo quanto à burocracia na abertura de empresas. As empresas ou profissionais autônomos não estabelecidos que se interessarem em aderir ao programa poderão eleger como domicílio fiscal o endereço fiscal da Casa do Empreendedor, que fica junto à Secretaria.

Já o Programa Pró-Emprego funciona como um elo entre as empresas que buscam profissionais e os candidatos que estão à procura de uma oportunidade. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico possui um banco de vagas e de currículos, aproximando as empresas e trabalhadores para promover o preenchimento de vagas.

“Os programas que oferecemos aproximaram a administração pública da iniciativa privada. Essas ações estimulam o crescimento de diversos setores, assim como a localização privilegiada da cidade favorece a adesão de novas empresas ao município”, complementa o secretário, André. Interessados em aderir aos programas, devem buscar atendimento na sede da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, localizada na Rua Sete de Setembro, 78, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h.

Publicidade