Biguaçu participa de mobilização estadual contra o mosquito Aedes aegypti

Publicidade

Assessoria

O prefeito de Biguaçu, Ramon Wollinger, e o secretário municipal de Saúde, Ângelo Ramos Vieira, participaram da grande mobilização promovida pelo Governo do Estado contra o Aedes aegypti, nesta terça-feira (8), no auditório do Golden Executive Hotel, em São José.  Além da dengue, esse mosquito também transmite o zika vírus, causador da microcefalia, e chikungunya.

Continua após a publicidade

Na oportunidade, a Secretaria de Estado da Saúde alertou sobre a necessidade de reforçar em conjunto com os municípios as ações de combate ao mosquito transmissor das três doenças. A preocupação de deve à proximidade do verão e do aumento dos volumes de chuvas, já que quanto mais quente e úmido, maior é a reprodução desses insetos. O Governo do Estado irá liberar R$ 1,7 milhão para ajudar 57 municípios em ‘estado de alerta’ (Biguaçu não está na lista), sendo que em agosto foi liberado o mesmo valor.

O evento contou com a presença do governador Raimundo Colombo, do vice-governador Eduardo Pinho Moreira, do secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinübing, o superintendente de Vigilância em Saúde, Fábio Gaudenzi de Faria, o superintendente de Planejamento e Gestão da Secretaria de Estado da Saúde, Leandro Adriano de Barros, prefeitos, secretários municipais de Saúde, parlamentares, entre outras autoridades.

Além do prefeito Ramon e do secretário Ângelo, Biguaçu também foi representado pelo superintendente de Saúde, Alessandro Garbelotto, pelo coordenador do Programa de Controle da Dengue, João Batista Soares, pelo agente de endemias Leo Ricardo Martins, e pelo diretor geral da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Transportes, Saul de Mello Ferreira.

Santa Catarina registrou em 2015 um total de 3.593 casos de dengue. Em Biguaçu, foram registrados três casos, dois vindos de outros estados e um de uma pessoa que esteve em Itajaí.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, de 20 de outubro (quando a vigilância sobre o zika foi implantada) até 1º de dezembro de 2015 foram notificados cinco casos suspeitos de febre do vírus em Santa Catarina, todos informados pelo município de Itajaí. Três casos foram descartados e dois aguardam resultado de exames. Não há, até o momento, caso autóctone (contraído dentro do território) confirmado de zika vírus no estado. Recentemente, o Ministério da Saúde confirmou a relação do zika com os casos de microcefalia em bebês.

Quanto aos casos de chikungunya, foram confirmados três casos, dois deles de pessoas que estiveram na Bahia e um adquirido em Itajaí.

O governador Colombo afirmou que “o nosso apelo é de integração e de prioridade. Temos que combater o mosquito com toda a força possível e de forma conjunta em todo estado.”

Para o secretário Kleinübing “é preciso ampliar a conscientização da comunidade para o combate ao mosquito e além desses recursos que estamos passando às cidades em alerta, queremos também ampliar junto ao Governo Federal a liberação de verbas para contratarmos mais agentes.”

Ações no município

O prefeito Ramon ressaltou que “Biguaçu não está na lista das cidades em estado de alerta, mas para que possamos deixar nosso município longe dessas doenças é necessária a mobilização de toda a população. Somente o cuidado constante pode acabar com os criadouros do mosquito, contamos com a ajuda de cada morador.”

O coordenador do Programa de Controle da Dengue, João Batista, explicou que serão intensificadas as ações no município, com o envolvimento de diversos setores e serviços da Secretaria Municipal de Saúde, inclusive com a doação de tampas de caixas d´água para a população carente.

“Com a grande quantidade de chuvas em nossa região e o aumento do calor com a chegada do verão, aumenta também a ameaça da dengue. As condições climáticas são ideais para a reprodução do mosquito, por isso a hora agora é de prevenção”, alerta o secretário de Saúde, Ângelo Vieira.

Principais sintomas das doenças:

Dengue

– Febre alta

– Dor atrás dos olhos

– Dor muscular intensa

Chikungunya

– Febre alta

– Dor intensa nas articulações que pode causar limitação dos movimentos

Zika

– Febre baixa

– Manchas avermelhadas pelo corpo com coceira

– Inchaço nas articulações

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda

– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo

– Mantenha lixeiras tampadas

– Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água

– Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água

– Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana

– Mantenha ralos fechados e desentupidos

– Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana

– Retire a água acumulada em lajes

– Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados

– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário

– Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue

– Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde

– Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento

Mais informações em www.dengue.sc.gov.br

Publicidade