Campeonato de surf é cancelado após golfinho ser confundido com tubarão no litoral do Paraná

Publicidade

A suspeita de um tubarão nas águas de Matinhos, litoral do Paraná, fez com que a primeira etapa do Campeonato Paranaense de Longboard fosse cancelada. Foi neste domingo (28), no começo da tarde, quando surfistas afirmaram ter avistado um tubarão. Imediatamente, todos saíram do mar e a prova acabou interrompida.

O vendedor de frutos do mar, Michel Araújo, também viu o animal e relata que o desespero foi generalizado. “Pessoal ficou apavorado, mesmo porque o tubarão é um bicho causa pânico, né? Foi uma loucura. Ele (o animal) passou por baixo da prancha do atleta. Não demorou muito tempo e apareceu a ‘galha’ em cima, e aí foi um desespero geral. Os surfistas ergueram os braços e pernas pra cima para evitar de ficar em contato com a água”, conta.

Continua após a publicidade
Em 2010, um tubarão de verdade foi fotografado naquela praia (Imagem: Thiara Mandelli)

Boto

O Corpo de Bombeiros não confirma a ocorrência de tubarão no mar de Matinhos. Para os socorristas, a maior probabilidade é de que o animal fosse um boto.

O surfista profissional Sanderson Trevisan concorda com a afirmação. Ele diz que os relatos das testemunhas indicam que não se tratava de um tubarão.

“O bicho veio, mostrou a barbatana, mergulhou, mostrou a barbatana de novo, passou por eles e aí sumiu. Esse é um movimento mais característico de boto e golfinho mesmo. O tubarão em águas rasas nada na face da água, com a galha para fora. Ele só afunda quando avista um peixe ou alguma coisa que ele vai atacar. Se ele fez esse movimento perto dos surfistas ele deveria ter algo para atacar, deveria ter atacado os surfistas”, especula.

Pânico

O ocorrido logo virou o assunto principal da cidade. Os moradores de Matinhos não falam de outra coisa. Por isso, as aulas de surfe para alunos da rede pública municipal estão canceladas até a próxima quarta-feira.

“A gente trabalha na escola de surf com 420 a 500 crianças da rede municipal de ensino. Damos aulas diariamente de manhã e de tarde. Tomou uma proporção muito grande. Vários pais entraram em contato para saber se os filhos correriam riscos. Cancelamos as aulas até quarta-feira, até para ter certeza, só para acalmar os pais, mesmo acreditando que não seja”, conta.

Apesar do susto, não houve feridos. A prova foi remarcada para o dia 31 de julho. A última vez que um tubarão apareceu no litoral do Paraná, segundo moradores, foi em 2014.

O litoral do Estado já registrou 50 das 90 espécies brasileiras de tubarão. Entretanto, não há registro de ataques a banhistas ou surfistas nas praias paranaenses.

Publicidade