Casal é preso em Palhoça após morte da filha de três meses por desnutrição

Publicidade

A Polícia Civil de Palhoça, por meio da Central Regional de Plantão Policial, prendeu, na segunda-feira (3), um casal – ele com 30 e ela com 26 anos – , depois que o bebê deles, de três meses, morreu por desnutrição. Eles responderão pelo crime de maus-tratos, agravado em razão de morte e por se tratar de menor de idade. A pena é de quatro a 12 anos e pode aumentar em um terço, já que a vítima era menor de 14 anos.

O caso

Continua após a publicidade

A mãe, que era formada em Enfermagem, tinha acabado de passar por uma cirurgia nos seios e possivelmente não conseguia amamentar o bebê, segundo o Delegado de Polícia Civil que atendeu o caso Adriano Almeida. Conforme o relato dela, o casal saiu de Joinville e foi para a região da Guarda do Embaú, em um local chamado “Vale da Utopia”, onde vive uma comunidade alternativa. Eles buscaram outra solução para a alimentação da recém-nascida, que passou a ser alimentada com um extrato, formado por óleo de coco e castanhas moídas.

O bebê teria morrido por volta das 22h de domingo e o Samu foi acionado por volta das 2h de segunda-feira. A criança, pelo estado de desnutrição, tinha quase o tamanho de um feto. O médico legista que avaliou o corpo do bebê acredita que ela não estava sendo amamentada durante todo este período, pois o corpo tem indícios de que ela estava desprovida da alimentação básica para esta idade.

Os pais se mostraram surpresos com a prisão porque acreditam que fizeram o melhor para seu bebê. Em interrogatório, eles falaram que o bebê transcendeu, que agora é “um ponto de luz iluminando a Terra”.

O delegado solicitou à Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Palhoça, que fosse até ao local para averiguar se há outras crianças na mesma situação.

Publicidade