Casan opera com capacidade máxima na temporada

Publicidade

A expectativa do setor turístico de que um milhão de visitantes chegue ao litoral catarinense para as festas de Ano Novo traz também o alerta sobre a necessidade de uso responsável da água.  Nas cidades catarinenses atendias pela Companhia Catarinense de Aguá e Esgoto (Casan), um conjunto de ações mantém em operação máxima os sistemas de abastecimento.

Melhorias operacionais, reforço de equipes de plantão, colocação de geradores nas unidades de produção e distribuição, além de contratação de caminhões-pipa para atendimento de emergências fazem parte da Operação-Verão, deflagrada antes do Natal.

Continua após a publicidade

O chefe do Setor de Operação e Manutenção de Água da Superintendência Metropolitana da Casan, Bruno Kossatz, explica que antes de chegar às residências a água passa por um complexo processo de captação, tratamento e distribuição.

No caso da companhia, que abastece uma população fixa de 2,8 milhões de moradores em 197 municípios, esses processos dependem da atuação de milhares de trabalhadores, captação em mais de 550 mananciais, potabilização em quase 300 estações de tratamento e distribuição em mais de 13 mil quilômetros de tubulações (o equivalente a uma viagem de Florianópolis à Europa).

Por esse motivo, mudanças de hábito são fundamentais para que a água seja consumida de forma mais adequada.  “Na verdade, medidas muito simples podem fazer a diferença para reduzir o desperdício de água”, destaca Bruno Kossatz.

Fechar a torneira ao escovar os dentes, fazer a barba e ensaboar a louça; tomar banhos menos demorados e usar as máquinas de lavar louça e lavar roupa em sua capacidade máxima estão entre as dicas de economia. “A água é um bem finito que precisa ser valorizado e consumido com responsabilidade”, ressalta o engenheiro sanitarista e ambiental da Casan.

 

Reforço estrutural no abastecimento e nos sistemas de esgotamento sanitário

O trabalho direcionado a Florianópolis, um dos principais destinos turísticos de verão no Estado, mantém o reforço no abastecimento, conquistado com obras estruturais que trouxeram mais produção, capacidade de distribuição e reserva de água.

A maior segurança no abastecimento foi conquistada com a implantação do sistema flocodecantador na Estação de Tratamento de Água do Morro dos Quadros, em Palhoça. Essa unidade é responsável por quase 50% da água consumida no Sistema Integrado de Abastecimento de Florianópolis.

Em operação desde dezembro de 2015, o flocodecantador ampliou a capacidade de tratamento de água captada dos rios Pilões e Cubatão de 2 mil litros por segundo para 3 mil litros por segundo.

Em relação à distribuição, a CASAN conta mais uma vez com o primeiro trecho da macroadutora do Itacorubi, que permite levar água do Sistema Integrado de Abastecimento de Água da Grande Florianópolis ao Sistema Costa Norte. São atendidas pelo Costa Norte algumas das praias mais procuradas na Ilha durante o verão, como Canasvieiras, Jurerê e Ingleses.

Outra melhoria em plena operação e que traz mais tranquilidade ao abastecimento é o reservatório em aço vitrificado implantado no Morro das Antenas, em Ingleses. A unidade tem capacidade de armazenamento de três milhões de litros de água, elevando a reservação no Norte da Ilha a quase nove milhões de litros.

Melhorias operacionais

No Sistema de Abastecimento Costa Norte, um dos mais demandados durante a temporada, a Companhia executou nos últimos meses um conjunto de obras que trará mais segurança para um fornecimento regular de água.

Entre as melhorias está a substituição do conjunto motobombas que faz a distribuição a partir da Estação de Tratamento de Água dos Ingleses, além de redimensionamento de sistemas de bombeamento da região.

Foram também realizadas limpezas em todos os poços dos sistemas Costa Norte e Costa Sul-Leste, além de revisão e manutenção de sistemas complementares de abastecimento, como os existentes na Praia da Daniela e em Ratones.

“São melhorias operacionais que otimizam os sistemas e nos dão mais segurança para trabalhar com a alta demanda do verão”, explica o superintendente da Região Metropolitana, Lucas Barros. Ele lembra ainda que estão sendo instalados geradores de energia em todas as unidades dos sistemas de abastecimento e caminhões-pipa foram contratados e serão mantidos de prontidão, para atendimento de emergências.

Esgotamento Sanitário

Na área de esgotamento sanitário, a Companhia trabalha desde a temporada passada em um conjunto de ações voltadas a contribuir com a despoluição do Norte da Ilha. Instalada junto à Estação de Tratamento de Esgotos de Canasvieiras, uma nova ETE compacta está em operação desde o dia 14 de dezembro.

A unidade garante mais capacidade de tratamento na região, sendo direcionada a atender a demanda provocada por ligações irregulares de água da chuva no sistema de esgotos da CASAN. A nova ETE compacta tem capacidade de tratar 100 litros de esgotos por segundo, elevando em cerca de 50% a capacidade da Estação existente em Canasvieiras.

Está também em operação a Unidade de Recuperação Ambiental (URA), que coleta e trata a água do Rio do Braz, colaborando com a recuperação desse ambiente que está há décadas contaminado.

Limpeza das margens e do entorno do rio do Braz, lacre de ligações irregulares na rede de coleta de esgotos após diagnóstico a partir de testes de fumaça e de videoinspeção e estudo ambiental para desassoreamento são outras ações providenciadas pela Companhia para o Norte da Ilha.

Publicidade