Comandante da PM destaca rede de vizinhos em Biguaçu

Publicidade

O comandante da 11ª Região de Polícia Militar (RPM), coronel Araújo Gomes, destacou, em comunicado enviado à imprensa da Grande Florianópolis, que o programa Rede de Vizinhos – também conhecido como “vizinho solidário” – está funcionando bem em Biguaçu, área de atuação do 24º Batalhão da PM.

“Em alguns batalhões, como o 24º BPM (Biguaçu) o programa já se encontra bem sedimentado, necessitando apenas de alguns ajustes como, por exemplo, a atualização das ações conforme o Procedimento Operacional Padrão da Polícia Militar (POP-113)”, destacou o coronel.

Continua após a publicidade

A “Rede de Vizinhos” foi apresentada nos municípios da 11ª RPM. Os moradores do bairro Centro, em Biguaçu, foram os primeiros a aderirem ao projeto, que consiste na interação e preocupação entre vizinhos, através do aplicativo de troca de mensagens WhatsApp. O intuito é evitar e até mesmo inibir que crimes aconteçam na comunidade que será vigiada pelos próprios moradores. Ao perceber alguma movimentação suspeita na rua, o vizinho alerta o grupo, que também é formado com a participação de pelo menos um policial.

Logo após o projeto começara funcionar, a PM de Biguaçu já efetuou prisões e condução de suspeitos até à delegacia, após o aviso via grupo de vizinhos. Devido à experiências positivas nesse sentido, moradores de outros bairros da cidade também solicitaram participação na rede de Vizinhos.

Coronel Araújo Gomes e policiais do PPT
Coronel Araújo Gomes e policiais do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) Foto:Divulgação

Operação Área Segura

O comando da 11ª Região da PM também lançou, em Agosto, a Operação Área Segura, que tem como missão de intensificar a atuação de polícia ostensiva, de forma proativa e mediante a implementação de ações preventivas sobre as possíveis causas da criminalidade no município de São José.

“A operação em si compreende o desenvolvimento de projetos com foco na prevenção e cujo o desencadeamento vem ocorrendo de forma gradativa, como é o caso da massificação do policiamento ostensivo nos municípios, da detecção e cadastro de espaços públicos abandonados, dentre outros de fiscalização da ordem pública”, destaca coronel Araújo.

Na primeira fase desta operação, guarnições compostas exclusivamente pelo efetivo administrativo da 11ªRPM, saíram às ruas dos bairros Campinas e Kobrasol verificando a situação das pessoas consideradas em situação de risco ou vulnerabilidade. Foram abordados e cadastrados moradores de rua e andarilhos que frequentemente circulavam pela área. Em muitos casos, ao realizar a checagem dos dados via Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), muitos dos abordados constavam com ordem judicial de prisão, circunstância que levou ao encarceramento de potenciais criminosos da região.

“No mais, importante ressaltar que as ações ainda não terminaram. A Operação Área Segura deverá se prolongar no tempo, haja vista que a implantação de alguns projetos depende da participação de outros órgãos públicos e, principalmente, da colaboração da comunidade, das associações de moradores e de comerciantes locais. Tais participações são de fundamental valor, posto que auxiliam na identificação dos principais problemas da região de maneira pontual, permitindo melhor direcionar o policiamento”, complementa Gomes.

Publicidade