Começa fiscalização contra dengue na região continental da capital

Publicidade

A Prefeitura de Florianópolis iniciou a operação integrada de fiscalização focando os terrenos baldios e os chamados pontos estratégicos, como ferros-velhos, borracharias e oficinas mecânicas, entre outros, na tarde desta segunda-feira (23). O objetivo da ação, que deve ocorrer durante todo o Verão, é combater os possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Tanto a Vigilância Sanitária e Ambiental quanto as Secretarias Executiva de Serviços Públicos e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano irão verificar condições sanitárias, regularização das atividades comerciais e limpeza de terrenos baldios.

Continua após a publicidade

“Dependendo da gravidade da situação, o proprietário poderá ser autuado, com prazo para regularização, interdição e até recolhimento do material”, afirmou a diretora do Centro de Controle de Zoonoses, Priscilla Valler. Já foram mapeados 185 desses pontos estratégicos, que serão fiscalizados semanalmente.

Terrenos

Outro foco da fiscalização serão os proprietários de terrenos baldios. A equipe de geoprocessamento da Prefeitura, em parceria com a Vigilância Sanitária e Ambiental, já está mapeando os locais onde há possibiidade de focos do mosquito da dengue. Até agora, são 104 no Continente e 43 na Ilha. Todos receberão, nos próximos dias, uma carta da Prefeitura, comunicando sobre a necessidade de limpeza do terreno.

Em seguida, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano passará a multar em R$ 500,00 aqueles que não regularizarem a situação. Ao mesmo tempo, os agentes do Programa de Combate à Dengue farão as análises dos possíveis criadouros do mosquito. Aqueles que forem reincidentes serão multados sucessivamente, no mesmo valor, a cada 15 dias, até que o local esteja limpo. Os casos mais graves serão encaminhados ao Ministério Público.

A operação iniciada nesta segunda-feira demonstrou as dificuldades que as equipes têm na conscietização e limpeza dos focos do mosquito. “Aqui ninguém nunca morreu de dengue, não tenho que me preocupar com isso.” Assim respondeu Joel Fagundes, após ser autuado pelos agentes. Ele terá 15 dias para fazer a limpeza do terreno, no Jardim Atlântico, que tinha entulho e sucata de carros, geladeiras e outros materiais.

Semana

Também serão realizadas ações educativas e de conscientização, tanto da população quanto dos funcionários da Prefeitura que atuarão direta ou indiretamente nas ações de combate à dengue. É o caso dos fiscais da SMDU e da SESP, da Floram, assistentes sociais, Defesa Civil, trabalhadores da Comcap e Pró-Cidadão.

Todos os líderes comunitários do Maciço do Morro da Cruz também passarão por um treinamento com as equipes do Programa de Combate à Dengue, para multiplicar as informações junto à população daquela região. As informações sobre como manter longe o Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença, serão repassadas na próxima quarta-feira (25).

Apenas neste ano, o Estado de Santa Catarina registrou cerca de 3,3 mil casos da doença, a grande maioria no município de Itajaí. A capital catarinense segue sem registros de contaminação dentro do próprio território. Desde o começo do ano, foram encontrados 227 focos, sendo 185 no Continente, 28 no Norte, cinco no Centro e nove no Leste.

Assessoria

Publicidade