Convênio com Estado vai garantir UPA Metropolitana no Continente

Publicidade
Foto/divulgação: Petra Mafalda/PMF

Convênio entre o governo  do Estado e a Prefeitura de Florianópolis irá garantir a abertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Continente – agora chamada de UPA Metropolitana – nos próximos dois meses. A informação é da assessoria da prefeitura da capital.

Com vocação para atender a pacientes da região metropolitana de Florianópolis, principalmente de São José, a UPA Continente terá a gestão da Secretaria de Estado da Saúde, com capacidade para atender até 100 mil pessoas ao ano – entre 60% a 70% deles provenientes de outros municípios.

Continua após a publicidade

Desde 2010, quando o projeto foi apresentado ao Ministério da Saúde, a UPA Metropolitana sempre teve a vocação para atendimento a pacientes de Florianópolis e demais municípios da região metropolitana, principalmente por sua localização. Isso já acontece nas demais UPAs da Capital que, mesmo localizadas na Ilha, atenderam, em 2014, cerca de 13,1 mil pessoas de fora da cidade (o que representa quase 5% do total 378,6 mil atendimentos nas duas unidades). No verão, a demanda de estrangeiros aumenta cerca de 20%, tanto no Norte como no Sul da Ilha.

Por esta razão, a Prefeitura de Florianópolis optou por fazer convênio com o Estado para a abertura da unidade no Continente – não há como a capital bancar com recursos próprios o atendimento aos pacientes dos demais municípios da região. Dessa forma, a UPA Metropolitana fará parte da Rede de Urgência e Emergência (RUE) do Estado para a região, junto com o Hospital Regional de São José, Hospital Florianópolis, UPAs de Biguaçu e Palhoça e o futuro Hospital de Biguaçu.

“Florianópolis ganha muito com essa mudança, pois a população do Continente será atendida na UPA sem ter que se deslocar para a Ilha e o município não terá que arcar com gastos com atendimento à população de outras cidades, que cabe ao Estado”, avaliou o secretário municipal de Saúde, Daniel Moutinho Junior.

Além disso, a partir do momento que assinar o convênio com a capital, o Estado ganhará um apoio fundamental ao atendimento prestado nos hospitais.

Funcionamento

A obra já está concluída e as chaves serão entregues à Secretaria Estadual de Saúde assim que o Estado definir o início da entrada dos equipamentos e dos funcionários que atuarão na unidade e assinar o respectivo Convênio.

Na UPA Metropolitana serão atendidos usuários com quadro agudo, as chamadas urgências na área médica. A expectativa é de que se mantenha o índice de 97% de resolutividade apresentado tanto pela UPA Norte (em Canasvieiras) quanto pela UPA Sul (no Rio Tavares) da Ilha.

 

Publicidade