Corpo de transexual que estava desaparecido em Florianópolis é encontrado no mar

O corpo da jovem transexual Emilly Fogaça, de 21 anos, foi encontrado em alto-mar na quinta-feira (1°), informou a Delegacia de Polícia de Pessoas Desaparecidas (DPPD), em Florianópolis. Ela estava desaparecida desde 21 de janeiro.

Conforme o delegado Wanderley Redondo, o Instituto Médico Legal (IML) informou a identificação do corpo. A suspeita é de afogamento. O laudo cadavérico ainda será feito para identificar se a jovem ingeriu alguma substância antes de entrar no mar.

Conteúdo impulsionado

Segundo Redondo, os relatos dão conta que ela estava em um bar na Praia Mole, no Leste da Ilha, e decidiu entrar no mar, como fazia costumeiramente. No entanto, testemunhas informaram na delegacia que ela teria consumido quantidade elevada de drogas antes do mergulho.

Ainda de acordo com a delegacia, ela foi achada por pescadores a cerca de duas milhas em alto-mar, pouco mais de 3 quilômetros. O corpo estava na superfície da água, na altura do bairro Pântano do Sul.

Apesar de o caso ter características de afogamento, segundo a DPPD, deve ser encaminhado para a 2ª Delegacia de Polícia Civil da Capital.

Desaparecimento

De acordo com o B.O., a jovem foi vista pela última vez às 18h em um bar na Praia Mole acompanhada de um homem. O boletim foi registrado na 5ª Delegacia de Polícia e encaminhado à DPPD.

A jovem era natural de Porto Alegre (RS), mas morava na Capital catarinense.

Conteúdo impulsionado