Coutinho diz que foram três meses de “pressão”

Publicidade
Hudson Coutinho, treinador Figueirense (Foto: Assessoria)
Hudson Coutinho  (Foto: Assessoria)

O técnico Hudson Coutinho disse, em entrevista coletiva na sala de imprensa do estádio Orlando Scarpelli, logo após a vitória sobre o Fluminense – garantindo a permanência do time na ‘elite’ – que os últimos três meses foram de extrema ‘pressão’ nos bastidores do Figueirense, pois havia real receio de cair para a Série ‘B’.

“Foi muita pressão, de cai, não cai. Não é fácil jogar para vencer todos os jogos. Nesse primeiro momento sinto muito alívio. O resultado contrário iria manchar minha história, sou da cidade, e sou Figueirense”, avaliou o treinador.

Continua após a publicidade

Apesar de jogar praticamente todo o segundo turno sob a ameaça do descenso, o treinador do Figueira considera o resultado final muito positivo.

“No segundo turno foram 23 pontos conquistados, contra 20 da primeira fase. Fizemos uma avaliação com a diretoria nessa reta final e o objetivo era manter o time na Série ‘A’. Objetivo alcançado, com erros e acertos, mas alcançado. Agora é hora de ouvir Dazaranha para relaxar e baixar adrenalina”, comentou o comandante alvinegro.

Permanência e montagem de elenco

Questionado se permaneceria treinando o Figueirense na temporada de 2016, Hudson Coutinho preferiu não falar sobre isso neste momento, mas garantiu que, de uma forma ou de outra, estará no alvinegro na próxima temporada. “O certo é que estarei no Figueira. Mas creio que o planejamento deve começar já, pois vem o Catarinense, Sul Minas e Copa do Brasil já no começo do ano”, apontou.

Publicidade