Deputado é flagrado pela PRF com R$ 24 mil em mala e material de campanha no carro

Publicidade

G1 – O deputado estadual Mauro Savi (PSB) foi encaminhado nesta segunda-feira (12) para uma unidade da Polícia Federal, em Sinop, a 503 km ao Norte de Cuiabá, após ser flagrado com mais de R$ 24 mil em uma mala e material de campanha eleitoral dentro do carro dele. No veículo, além do parlamentar, estavam um agente de trânsito e um motorista. Os três foram encaminhados à delegacia e devem prestar depoimento.

Ao G1, o deputado alegou que o dinheiro é para gastos pessoais e que tem o comprovante do saque feio em uma agência bancária. Ainda segundo ele, o material de campanha é do atual prefeito de Sorriso e candidato à reeleição, Dilceu Rossato (PSB). O parlamentar informou ainda que é apoiador da campanha e que possui nota fiscal do material. Já Dilceu Rossato atendeu à reportagem, mas se negou a comentar o assunto.

Continua após a publicidade

A abordagem foi feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em fiscalização de rotina na BR-163, em Sorriso, a 420 km de Cuiabá.

Após inspeção, foram localizadas uma mala com dinheiro em espécie e material de campanha eleitoral. Segundo a polícia, o dinheiro seria usado na campanha.

O deputado, que possui imunidade parlamentar, foi encaminhado para a delegacia no carro de um de seus advogados. O agente de trânsito e o motorista também foram encaminhados para prestarem depoimento.

Savi disse que suspeita que alguém fez uma denúncia anônima e, por isso, ele foi abordado. “Isso é denúncia. Eu tenho nota para provar que está tudo certo com o material”, disse.

Outro lado

Por meio de nota, o deputado afirmou que o dinheiro possui origem lícita e que não seria utilizado em campanha eleitoral. À polícia ele diz que apresentou o extrato bancário da sua conta corrente, no qual consta o saque e nota fiscal  que comprova a regularidade do material de campanha do candidato à reeleição, Dilceu Rossato (PSB). Segundo o parlamentar, diante dos comprovantes ele não precisou prestar depoimento e requereu, por meio de seus advogados, a restituição do dinheiro e do material de campanha.

Publicidade