Dia do Servidor Público: Prefeitura de Biguaçu promove votação para concessão de medalha

Publicidade

28 de outubro é o Dia do Servidor Público e para marcar essa data, a Prefeitura de Biguaçu, por meio da Secretaria de Administração, realizará a Semana do Servidor Público Municipal, com a votação para a concessão da Medalha de Mérito Funcional Esmeraldino Prazeres. Pelo voto secreto dos funcionários municipais, é eleito o servidor efetivo destaque, levando em conta os critérios de assiduidade, pontualidade, comprometimento e disciplina.

O nome dado à medalha foi instituído em homenagem a Esmeraldino Prazeres, que desempenhou o cargo de tesoureiro municipal. Como presidente da Câmara de Vereadores, em 1972, assumiu a função de prefeito em exercício durante 32 dias.

Continua após a publicidade

A eleição ocorre em conformidade com a lei municipal nº 3.114/2011, que permite que todos os funcionários têm direito de votar, sejam efetivos, comissionados ou contratados, mas apenas servidores efetivos (concursados) podem ser votados, com exceção de servidor que exerça cargo de primeiro escalão.

A divisão para votação também é determinada por essa mesma lei, da seguinte forma:

– Um indicado da Secretaria da Saúde;

– Um indicado da Secretaria da Educação;

– Um indicado das Secretarias de Desenvolvimento Urbano e Transportes e Secretaria de Obras e Infraestrutura;

– Um indicado do Gabinete do prefeito, Gabinete do vice-prefeito, Procuradoria-Geral, Secretaria da Receita, Secretaria de Administração, Secretaria de Cultura, Esporte, Turismo e Lazer e PrevBiguaçu;

– Um indicado da Secretaria de Planejamento e Gestão Participativa, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Controle Interno, Fundação Municipal de Meio Ambiente de Biguaçu (Famabi), Secretaria de Assistência Social e Habitação e Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura.

Da votação nos locais de trabalho, serão indicados os servidores mais votados pelos colegas, segundo a divisão acima. Dessa lista, sairá o vencedor que receberá a medalha, escolhido pelo Grupo Gestor composto por secretários municipais, prefeito e vice-prefeito. Aos cinco servidores mais votados, será concedida uma placa de reconhecimento e homenagem.

As urnas para depósito dos votos serão entregues nas Secretarias nesta segunda-feira, 18 de outubro, sendo o prazo final para devolução no dia 22, até 12h. A contagem das cédulas e a divulgação dos resultados será feita no dia 25 e a premiação será realizada no dia 27.

Saiba mais sobre Esmeraldino Prazeres*

Nasceu no dia 24/09/1911, em Biguaçu, filho de Hermógenes dos Prazeres e de Francisca dos Prazeres. Casado com Georgina Faria Prazeres, o casal teve 12 filhos: Odir, Orival, Avani, Ozildo, Alicéa, Adaci, Odemir, Arlete, Auda, Ângela, Adir e Aldanei. Faleceu no dia 13/12/2010.

Frequentou o ensino primário em Biguaçu. Foi cobrador de ônibus. Durante a Revolução de 1930, exerceu a função de vigia da ponte sobre o Rio Tijucas. Foi balconista no Armazém do Alfredo da Silva, interventor no município de Biguaçu. Foi empreendedor comercial em Biguaçu e garimpeiro em Ribeirão do Ouro/Brusque. Trabalhou como agente de seguros até abrir seu último negócio no Mercado Público Municipal.

Em 1950, aceitou disputar um mandato na Câmara de Vereadores. Esmeraldino Prazeres foi militante do Partido Social Democrático, mas sua amizade com o vigário paroquial, Pe. Rodolfo Machado, o levou a ingressar no partido da União Democrática Nacional. Em 1950, foi eleito vereador com 235 votos num total de 3.094 eleitores votantes. Convidado pelo prefeito eleito pela UDN, Cantídio Bernardino, foi nomeado para o cargo de tesoureiro municipal, por sua retidão e coragem política. Em 1953, foi nomeado escrivão do Crime, Júri, Execuções Criminais, Feitos da Fazenda e Eleitoral da Comarca.

Retornando à política em 1969, elegeu-se vereador pela ARENA, exercendo suas funções no período de 31/01/1970 a 31/01/1973. Em 01/02/1970, foi eleito e empossado presidente da Câmara Municipal. Nessa condição, assumiu, em 03/02/1972, o cargo de prefeito municipal, em substituição ao prefeito Paulo Wildner, em viagem à Europa e ao seu vice-prefeito, Olivério Corte, em viagem à Argentina, exercendo aquelas funções até o dia 06/03/1972, quando retornou à Câmara.

*Com informações do livro Resgate Histórico do Legislativo e Executivo Biguaçuense

Publicidade