Dono da OAS é encontrado morto às vésperas de fechar delação premiada na Lava Jato

Publicidade

Polícia Civil de São Paulo investigará como “suspeita” a morte do fundador da OAS e detentor da maior parte das ações do grupo, o empresário Cesar de Araújo Mata Pires, de 67 anos. Ele morreu na manhã desta terça-feira (22), enquanto caminhava na pista de cooper do estádio do Pacaembu, na Zona Oeste de São Paulo.

Mata Pires tinha problemas de saúde e a hipótese inicial é que tenha sofrido um infarto. No entanto, como ele estava próximo de fechar acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), nenhuma hipótese das causas da morte será descartada, segundo a polícia.

Continua após a publicidade

Alvo da Lava-Jato por corrupção e formação de cartel na Petrobras e em recuperação judicial, a OAS está empenhada no fechamento de um acordo de leniência.

O empresário era peça fundamental nas tratativas para os acordos que são costurados com o Ministério Público Federal e que passaram por reveses ao longo de dois anos. Ainda não está claro o tamanho do impacto que a morte do empresário causará nas negociações.

Seus dois filhos também participam das rodadas de conversação com os procuradores da Lava-Jato.

A informação é do Valor Econômico.

Publicidade