Estudantes são surpreendidos por adiamento do Enem em Florianópolis

Publicidade

G1 – Candidatos que chegavam ao Centro de Ciências da Educação (CED) e Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) por volta do meio-dia deste sábado (5) foram surpreendidos pelo adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Esses dois locais de prova na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foram incluídos em lista de ocupações divulgada pelo Inep no fim da manhã.

Aqueles que realizariam o exame nesses dois lugares terão de fazer uma nova versão das provas em 3 e 4 de dezembro, conforme decisão do Ministério da Educação (MEC).

Continua após a publicidade

Representantes dos estudantes que ocupam os locais convesavam com pais e candidatos para explicar os motivos da ocupação. Uma jovem que faria o exame chegou a discutir com um grupo.

‘Imagina se tem?’

“Meia hora antes de abrirem os portões mandaram mensagem: ah, não vai mais ter. A pessoa fica nervosa e preocupada por nada. Imagina se tem? Aí fico nervosa e me ferro na prova por causa de uma irresponsabilidade de ambas as partes?”, disse a estudante Camila Ramos, de 18 anos.

Ela afirmou que não quer ouvir justificativas dos estudantes da ocupação. “Não quero nem ouvir. Dois dias eles não vão morrer”. Ao ser informada de que os estudantes da ocupação se ofereceram para dar aulões na próxima semana aos estudantes que tiveram a prova adiada, Camila demonstrou irritação. “Da ocupação? Ah, tá, o pré-vestibular agora é eles? Eles que vão fazer as ‘paradas’? Não tenho o que comentar sobre isso”.

‘Causa superjusta’

Amanda Ferreira, de 17 anos, também soube do adiamento pouco antes do horário. “É o dia que já tem vários vestibulares marcados. Tenho o IFSC [Instituto Federal de Santa Catarina] nesse dia. Paciência, vamos mandar mensagens pro Inep e pro IFSC para ver o que se pode fazer.Tem vários cursos no IFSC que se entra pelo Enem”, lamentou.

Ela acredita, contuto, que “o pessoal está se exaltando muito por nada”. “Os estudantes estão aqui por uma causa superjusta, não estão fazendo nenhuma baderna. Uma representante do MEC está em todas as assembleias deles. Ela sabia que não ia haver ocupação nos dias do Enem. Eles [estudantes da ocupação] vieram aqui só pra acalmar os estudantes mesmo. E tem vários pais e estudantes dando de dedo neles sem nenhum motivo”.

Mais de mil candidatos afetados em SC

O adiamento atinge 1.061 candidatos que fariam a prova neste fim de semana nos dois locais de prova em Florianópolis. O Inep informou que os estudantes estão sendo avisados por e-mail ou SMS sobre  a transferência da data da sua prova para 3 e 4 de dezembro.

Caso o estudante não tenha recebido qualquer mensagem, a orientação do Inep é que ele deve se encaminhar, normalmente, para o local de aplicação sinalizado em seu Cartão de Confirmação.

Prova é mantida nos outros prédios

O G1 procurou a UFSC para obter mais informações sobre o Enem. A universidade informou que a organização do exame é feita por instituto independente e que não há ocupações nos demais prédios, onde as provas deverão ser aplicadas normalmente.

A reportagem conseguiu contato com o professor Paulo Pinheiro Machado, diretor do CFH. “Há uma ocupação e não tem condições de acontecer o Enem”, afirmou o professor, que ressaltou que a “estrutura e a logística” da prova fogem do domínio da universidade.

Segundo o diretor, uma representante do Inep visitou o local na quinta-feira e conversou com estudantes. No entanto, o local de prova não constava nas listas de ocupações divulgadas até sexta-feira (4).

De acordo com o instituto, até as 10h40, 40 novos endereços em todo o pais foram incluídos e mais 31.918 alunos passaram a ter o Enem adiado – ao todo, por enquanto, são 404 lugares e 271.918 candidatos afetados no Brasil.

Ocupações pelo país

As ocupações nos colégios são realizadas por movimentos estudantis que protestam contra a PEC do teto dos gastos e a reforma do ensino médio. Conforme decisão do MEC, as escolas que seriam locais de prova do Enem e que não foram desocupadas até a última segunda-feira, dia 31 de outubro, foram excluídas do processo.

Enem em SC

Em Santa Catarina, 176.654 estudantes se inscreveram para fazer o Enem, segundo o  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O número representa 2% do total de inscritos no Brasil.

Na sexta-feira (4), o Inep informou que as provas deveriam ocorrer normalmente no estado, embora alguns locais de prova ainda tivessem ocupações de estudantes que protestam contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos.

Horários

Tanto no sábado como no domingo, os portões são fechados às 13h (horário de Brasília). As provas começam a ser aplicadas às 13h30. Neste sábado, quando os estudantes respondem a questões de Ciências humanas e Ciências da natureza, a prova termina às 18h.

Já no domingo, quando serão aplicadas as provas de Linguagens e códigos, Matemática e Redação, o exame poderá ser feito até as 19h.

O aluno poderá sair sem o caderno de questões a partir das 15h30 nos dois dias. Se quiser levar o caderno, terá de esperar até as 17h30 no sábado e 18h30 no domingo.

Em Santa Catarina, as provas vão ser aplicadas em 56 municípios de todas as regiões. Somente em Florianópolis se inscreveram 19.271 pessoas. Em Joinville, no Norte do estado, serão 14.943, e em Blumenau, 7.862.

As mulheres somam 57% dos inscritos, e os homens, 43%. A maior parte dos candidatos, 44%, já concluiu o ensino médio. Outros 7% afirmaram que não concluíram o ensino médio nem estão cursando. 37% concluirão em 2016 e 12%, somente após 2016.

Faixa etária
No estado, 38% dos candidatos têm menos de 18 anos. Já as pessoas na faixa entre 21 e 30 anos representam 24% do total em Santa Catarina. Os que têm acima de 30 anos somam 9%. Os demais 29% se distribuem nas idades entre 18 e 20 anos.

75,1% dos inscritos no estado se declararam brancos; 16% afirmaram ser pardos, 5%, pretos, 1,2%, amarelos, 0,4% disseram ser indígenas e 2,2% não declararam.

Publicidade