Fatma diz que Santa Catarina mantém média de 65% dos pontos próprios para banho nas praias

Publicidade

Assessoria

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) divulgou, nesta sexta-feira (22), o relatório das condições das praias em Santa Catarina. O resultado mostra 135 pontos próprios e 76 impróprios para banho, o que mantém o percentual médio de 65% e 35% do relatório anterior. As análises foram realizadas nos dias 18, 19 e 20 de janeiro em 211 pontos do estado.

Continua após a publicidade

Em Florianópolis, 48 locais estão próprios e 27 impróprios, sendo Canasvieiras com apenas dois locais sem condições para banho. Nas praias dos Norte, o relatório aponta 57 em condições para banho e 41 impróprias, já no Sul, são 27 próprias e oito impróprias. De acordo com o último relatório, o terceiro de 2016 e o quinto da temporada de verão, duas praias passaram de condições impróprias para próprias para uso dos banhistas.

O diretor de Proteção dos Ecossistemas, Márcio Luiz Alves, explicou que os valores se mantêm durante essa época do ano. “No verão, temos esse cenário tradicionalmente e, em outras épocas do ano, há uma melhora devido ao menor número de chuvas e de turistas”, afirma.

O técnico do laboratório da Fatma, Marlon Daniel da Silva, explicou que durante a época de verão, as coletas são realizadas semanalmente nos municípios de Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário da Barra do Sul, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

“A Fatma tem um monitoramento da qualidade da água para banho de Itapoá, no Norte, até Passo de Torres, no Sul do estado. Fazemos esse trabalho de análise semanalmente no verão. No inverno, é realizado mensalmente”, informa Marlon.

Segundo o diretor Márcio Luiz Alves, um dos fatores que apontavam a praia de Canasvieiras totalmente imprópria há poucos dias foi a quantidade de chuvas e o incidente na estação elevatória da Casan. “O excesso de chuvas, a falta de energia e o roubo das baterias do gerador naquela estrutura da companhia impossibilitaram enviar o esgoto para a estação de tratamento, que, por fim, foi para o Rio do Braz”, disse.
Onde conferir a situação de balneabilidade

O diretor orienta que as pessoas visitem o site da Fatma, no link Balneabilidade, para consultar os pontos próprios para banho. “Também temos um aplicativo para celular que pode ser baixado gratuitamente, além das placas que estão localizadas nas entradas das praias”, salientou.

Alves pede que as pessoas não danifiquem nem roubem as placas colocadas pela fundação.  “Lamentavelmente, tivemos um dano muito grande nas placas proveniente do vandalismo. No ano passado, investimos R$ 160 mil somente para a manutenção dessas placas. Em alguns pontos, quando viramos as costas, as pessoas as danificam”.

“Vale lembrar que ao entrar em locais com balneabilidade imprópria, a pessoa se coloca em condição de risco, o que pode causar danos a saúde. A busca de informações deverá ser nos órgãos oficiais da Fatma”, concluiu Márcio.

Publicidade