Fatma vistoria instalações do Centro de Reabilitação de Animais Marinhos em SC

Publicidade

No local, os técnicos conheceram as futuras instalações dos ambulatórios, estabilização, recinto externo, sala de necropsia e câmara fria. O CRAS terá capacidade para atender cinco aves marítimas voadoras, dois pinguins e três tartarugas ao mesmo tempo. Os animais receberão os primeiros socorros e serão encaminhados posteriormente para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) que fica no Parque do Rio Vermelho, em Florianópolis.

Localizado na praia da Armação do Itapocorói, o local terá uma sala temática para explicar quem visita o município, como funciona o CRAS. “Vamos agora analisar os dados recolhidos aqui com o projeto e registrar no sistema para que a Univali possa emitir a Autorização de Manejo e começar efetivamente o trabalho”, explica a coordenadora de fauna da Fatma, Adriana Nunes.

Continua após a publicidade

Além do CRAS de Penha, outros três serão instalados no Estado. Em Laguna, o centro ficará sob a responsabilidade da Udesc; em São Francisco do Sul, será coordenado pela Univille e, em Florianópolis, a gestão será da Fatma e da ONG R3 Animal. Os empreendimentos são financiados pela Petrobrás, dentro do projeto de monitoramento de praias pelas atividades do pré-sal realizadas na Bacia de Santos.

Publicidade