Festa do Divino de São Miguel é declarada Patrimônio Cultural

Publicidade

A Festa do Divino Espírito Santo, de São Miguel, foi oficialmente declarada como Patrimônio Cultural, Imaterial e Histórico de Biguaçu. A lei nº 3934/2019 aprovada na Câmara Municipal é de autoria do vereador Adriano Luiz Vicente (PSD) e foi sancionada pelo prefeito Ramon Wollinger (PSD) nesta quinta-feira (25).

A Festa do Divino, de cultura açoriana, é realizada anualmente entre os meses de agosto e setembro, no balneário São Miguel. A comunidade, inclusive, é a mais antiga do município, inaugurada em 1751, sendo a Capela de São Miguel tombada como Patrimônio Histórico Cultural desde 1969.

Continua após a publicidade

O vereador Adriano lembra que a Unesco define como Patrimônio Cultural Imaterial as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural. “O Cortejo Imperial na festa do Divino Espirito Santo é uma tradição popular de referencia religiosa, trazido para a nossa terra pelos povoadores luso-açorianos, já que nas suas terras de origem esses festejos são celebrados com fé e muita pompa”, comentou o autor da lei municipal.

Para o padre Ewerton Martins Gerent, pároco da Paróquia São Evangelista, “a expressão da Festa do Divino, de forma particular para os católicos, e também a colonização açoriana torna essa devoção muito forte, pois não é apenas uma um evento religioso, mas também cultural”.

O ato de assinatura também contou com a presença do vice-prefeito Vilson Norberto Alves, da presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Ana Lúcia Coutinho, vereadores, secretários municipais e representantes da comunidade.

*Com informações da assessoria.

Publicidade