Biguaçu possui índice moderado de desenvolvimento socioeconômico

Publicidade

A edição 2015 do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado neste mês de dezembro (com dados do ano base 2013), indica que o desenvolvimento socioeconômico de Biguaçu é de 0,7644, que é considerado “desenvolvimento moderado“.  Entre os 292 municípios de Santa Catarina, Biguaçu posiciona-se no 107º lugar. Para entrar no ‘rol’ das cidades com “alto desenvolvimento”, precisa atingir 0,8. O 1º município da lista é Concórdia (no Oeste), com 0,8933. Florianópolis é o 13º, com 0,8339; São José o 27º, com 0,8211 e, Palhoça, o 83º, com 0,7817.

O cálculo considera três fatores fundamentais para o desenvolvimento econômico e social de um município: saúde, educação, emprego e renda (veja os gráficos no final do texto). De acordo com a pesquisa Firjan, em 2013 o destaque em Biguaçu foi a saúde, com IFDM de 0,8853. A educação ficou no meio dos três quesitos, com 0,7287. Emprego e renda em último, com 0,6791 (ainda dentro da faixa de desenvolvimento moderado).

Continua após a publicidade

O levantamento mostra que Biguaçu está entre os 57,9% municípios catarinenses pontuados entre 0,7 e 0,8 no IFDM. Outros 16,4% estão na área dos que têm alto desenvolvimento, com IFDM entre 0,8 e 0,9. Uma parcela de 24,3% possui índice entre 0,6 e 0,7. Já 1,4% das cidades catarinenses estão com desenvolvimento regular, entre 0,4 e 0,6. Nenhum ficou abaixo de 0,4.

A evolução anual do IFDM de Biguaçu revela que, desde 2005, os números vêm melhorando nos três critérios avaliados pela Firjan. Entre 2005 e 2008, esteve abaixo do índice de 0,7. Mas, a partir de 2009, passou para o lado de cima, onde se mantém até agora. Quando a ‘lupa’ da Firjan é colocada sobre cada quesito, observa-se que, nos últimos oito anos analisados, a geração de emprego e renda ‘segura’ o IFDM de Biguaçu. Enquanto que educação e saúde mantêm escala crescente, o índice que mede a quantidade de pessoas no mercado de trabalho e seus rendimentos ainda não é firme nesse sentido, o que revela a necessidade de mais investimentos para atrair fábricas e indústrias.

Veja os gráficos da pesquisa:

A pesquisa:

Criado pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) para acompanhar o desenvolvimento socioeconômico do país, o IFDM avalia as condições de Educação, Saúde, Emprego e Renda de todos os municípios brasileiros. Em sua nova edição – com base em dados oficiais de 2013, últimos disponíveis – o estudo traz comparações com outros anos da série histórica e projeções sobre a evolução do desenvolvimento por conta da deterioração do cenário econômico.

Publicidade