Fiscalização constata 51,8% de ligações regulares na rede de esgoto em Florianópolis

Publicidade
foto/divulgação: Petra Mafalda

Com o edital da segunda etapa do Floripa Se Liga na Rede em processo de conclusão para lançamento, a primeira fase do programa ultrapassa a marca de 42 mil inspeções realizadas – considerando-se a prumada como unidade de referência – e mostra uma inversão entre percentuais de ligações regulares e irregulares: ao contrário do que foi verificado em agosto, quando 50,4% das ligações apresentavam irregularidades, em setembro as ligações regulares é que chegaram a 51,8%.

No mês em que as inspeções completam dois anos (as primeiras vistorias aconteceram em outubro de 2013), os números mostram que 42.058 ligações foram vistoriadas, o que corresponde a 27.146 imóveis inspecionados e/ou visitados.

Segundo o secretário de Habitação, Domingos Zancanaro, alguns efeitos do Programa começam a aparecer.  “Embora seja uma melhora discreta, esses números comprovam que conscientização e fiscalização constante devem estar juntas, e que os resultados positivos são consequência disso”, disse.

Continua após a publicidade

Isso é evidenciado pelo grande número de readequações que vêm sendo verificadas nas reinspeções. “Tanto em Ingleses quanto em Ponta das Canas, as adequações chegaram a quase 11%, e é comum verificar tanto estabelecimentos comerciais quanto residências corrigindo problemas em suas ligações. Considerando-se o número de imóveis vistoriados, as regularizações chegaram a 23% dos casos”, completou Zancanaro.

Números

Se no relatório passado Ponta das Canas liderava o índice de irregularidades (com 68,4%), seguido de Ingleses (com 64,7%), também aqui houve uma inversão nos índices, só que desta vez bastante clara. Enquanto em termos percentuais Ingleses tenha ficado praticamente estacionado (64,3% de irregularidades), Ponta das Canas apresentou a melhor relação de melhorias verificadas: uma queda de praticamente 5 pontos percentuais em irregularidades, que agora chegam a 59%, levando o bairro para o terceiro lugar entre as comunidades nas quais o programa atua nesta primeira fase.

Novamente nas localidades de Barra da Lagoa, Cachoeira do Bom Jesus, Canasvieiras, Costa da Lagoa, Lagoa da Conceição e Ponta das Canas, a ausência da caixa de gordura foi a irregularidade mais constante, e em Ingleses foi a não conexão à rede de esgotamento, verificada em 648 inspeções.

Inspeções

Em cada unidade vistoriada é passado um ‘pente fino’ nas ligações prediais, verificando os sistemas de esgotamento sanitário e pluvial. Da torneira da pia da cozinha à ligação pluvial à rede respectiva, é obtido um raio-x de todas as instalações verificadas. É importante destacar que algumas vezes a mesma residência ou estabelecimento pode apresentar mais de uma irregularidade.

As irregularidades são mapeadas tanto pelo tipo de problema quanto pela localidade onde são identificadas, e deste modo é possível realizar uma análise detalhada sobre a realidade do saneamento ambiental da região processada.

A segunda etapa do programa, formalizada pelo convênio assinado pela Prefeitura e pela Casan no fim de junho, prevê o investimentos de R$ 1,2 milhão por ano, ao longo de quatro anos, com a proposta de promover inspeções nas regiões central e continental atendidas por rede de esgoto. No ato de assinatura, o prefeito Cesar Souza Junior afirmou que os recursos investidos no Floripa Se Liga na Rede correspondem às verbas mais bem aplicadas no sentido de promover a qualidade ambiental da Capital.

“É um trabalho perene e se amplia em paralelo ao crescimento da cidade. A administração municipal está buscando conciliar crescimento e planejamento, e para isso estamos investindo recursos e implementando ações efetivas, a exemplo do Floripa Se Liga na Rede”, frisou o secretário Domingos Zancanaro. Graças às readequações de prazo, as ações desta primeira etapa podem prosseguir até 31 de dezembro.

A informação é da assessoria da prefeitura.

Publicidade