Ibama exonera superintendente detido pela Polícia Federal em Santa Catarina

Publicidade

[accordions ]
[accordion title=”” load=”hide”]Diário Catarinense[/accordion]
[/accordions]

A diretoria nacional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) exonerou o superintendente do instituto em Santa Catarina, Américo Ribeiro Tunes. A decisão foi tomada poucas horas após ser detido pela Polícia Federal na Operação Enredados, deflagrada em sete estados na manhã desta quinta-feira. A investigação apura a concessão irregular de licenças na pesca industrial, entre outras irregularidades.

Continua após a publicidade

A exoneração de Tunes foi confirmada pela assessoria de imprensa estadual do Ibama. De acordo com o órgão, uma apuração comandada pela corregedoria nacional do instituto será aberta para rever todos os atos que estão sob suspeita.

Tunes deve ser levado a Porto Alegre (RS) – onde está centralizada a operação – já na tarde desta quinta-feira. A coordenação geral do Ibama dará coletiva, também na tarde desta quinta, para tratar do assunto.

A PF não confirmou o motivo da condução de Tunes. Ele foi detido em sua casa em Florianópolis e, ao sair, levava uma mala nas mãos. O agora ex-superintendente não falou com a imprensa.

Presidente de sindicato em Itajaí também foi detido

Ao todo, foram 19 mandados de prisão, 61 de busca e 26 de condução coercitiva cumpridos nesta quinta. O secretário-executivo interino da Secretaria da Pesca, Clemerson José Pinheiro da Silva, também foi detido em Brasília.

Em SC, disse uma fonte da polícia à reportagem, teriam ido seis prisões, mas a informação ainda não foi confirmada. A PF também não divulgou quem são os presos.

O presidente do Sindicato dos Armadores e da Indústria da Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), Giovani Monteiro, foi detido quando se locomovia para Florianópolis, onde pegaria um avião para cumprir compromissos em Brasília.

O “número 2” do extinto Ministério da Pesca, o secretário-executivo Clemerson José Pinheiro, também foi preso pela PF na manhã desta quinta-feira.

Superintendente já foi condenado por improbidade

Américo Tunes foi superintendente estadual do Ibama em pelo menos três oportunidades. A primeira foi entre 1989 e 1991, a segunda entre 2008 e 2010, e a atual gestão iniciou em fevereiro de 2014. Ele atuava como analista ambiental e tem formação em biologia.

Na gestão de 2008, foi indicado pelo diretório do PT em SC. Na época, ele era do quadro do Ibama e filiado ao partido.

Nesta atual gestão, Tunes novamente ocupava o cargo como indicado do PT catarinense. Antes de chegar à presidência nacional do Ibama, também atuou como diretor do órgão.

Em abril de 2010, foi nomeado diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas.

Antes de deixar a presidência do Ibama, em 2011, Tunes assinou a licença parcial de liberação das polêmicas obras da Usina de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará. A autorização permitia a supressão de vegetação de 238 hectares de área.

Com isso, o consórcio responsável pela obra pôde instalar o canteiro industrial e a área de estoque de solo e madeira.

Em maio de 2015, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região condenou Tunes por improbidade administrativa a pagar multa equivalente a cinco vezes o seu rendimento mensal.

Segundo o tribunal, “a Justiça Federal de Criciúma determinou que a União e o Ibama fiscalizassem e combatessem de forma efetiva a pesca predatória no litoral sul catarinense, mas alguns dias depois o réu, utilizando-se de suas atribuições, editou e publicou uma portaria que deixou mais flexível as regras para a pesca, permitindo a utilização de rede fixada por âncora, instrumento até então proibido”.

Publicidade