Jovem que estudou em Biguaçu recebe prêmio internacional de tecnologia

Publicidade

Uma equipe formada por três alunos e dois professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) conquistou o primeiro lugar em um concurso internacional de tecnologia, o ICCAD 2015 Contest em Incremental Timing-Driven Placement. A entrega da premiação ocorreu em Austin, Texas (EUA), no dia 2 de novembro. Eles criaram no Laboratório de Computação Embarcada da UFSC uma ferramenta que aperfeiçoa o desempenho de circuitos digitais, os quais compõem diversos equipamentos eletrônicos, como smartphones e laptops, por exemplo.

O mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC) da UFSC, Chrystian Guth, de 22 anos, é um dos integrantes da equipe. Ele residiu por cerca de dez anos em Biguaçu e cursou o ensino fundamental e médio em escolas públicas e particulares do município.

Continua após a publicidade

Chrystian participou do projeto junto com o doutorando no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Automação e Sistemas, Vinícius Livramento; o mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, Renan Netto, e com os professores José Luís Güntzel (Departamento de Informática e Estatística – INE e PPGCC) e Luiz Cláudio V. dos Santos (INE, PGEAS e PPGCC).

Guth disse, ao Biguá News, que a solução criada por eles realiza o reposicionamento das células que compõem os circuitos sem piorar outros aspectos ,como densidade, que poderia aumentar a dissipação de calor e, consequentemente, o consumo de energia. “O projeto físico do circuito digital é composto por milhares de células e uma das restrições é a frequência de operação. A ferramenta desenvolvida para a competição obteve a melhor qualidade na solução final, levando menos tempo que as demais competidoras”.

O mestrando ressaltou que a humanidade necessita cada vez mais da tecnologia e a indústria está buscando novas soluções de forma constante, inclusive na academia, para, no fim, tornar nossos aparelhos cada vez mais rápidos. O concurso foi organizado por pesquisadores da empresa Norte-Americana IBM.

“Hoje é possível realizar milhares de operações na palma da mão com um smartphone. Queremos que os equipamentos tenham cada vez mais funções dentro de um mesmo espaço físico, sejam rápidos e eficientes, mas que não consumam grande volume de energia, diminuindo o impacto ambiental” comentou.

A competição aconteceu em um período anterior ao evento de premiação e teve 42 projetos de instituições oriundas de Taiwan, China Continental, Hong Kong, EUA e Brasil. Os testes das soluções criadas foram realizados por pesquisadores das empresas que organizaram o concurso, por um período de dois meses.

As pesquisas no tema Electonic Design Automation (EDA) realizadas pela equipe da UFSC recebem apoio financeiro do CAPES e CNPq, por meio de diversos projetos, como INCT-Namitec, Edital Universal CNPq, PDTI-CNPq, Bolsas de Doutorado, Mestrado e Iniciação Científica CNPq e CAPES, informa o departamento de comunicação da universidade.

Equipe da UFSC recebendo premiação no Texas (Foto - Gracieli Posser)
Equipe da UFSC recebendo premiação no Texas (Foto – Gracieli Posser)

Da esquerda para a direita: Natarajan Viswanathan (IBM); Jin Hu (IBM); Vinícius Livramento (UFSC); Chrystian Guth (UFSC); Renan Netto (UFSC); Professor José Güntzel (UFSC); Myung-Chul Kim (IMB)

Publicidade