Levantamento aponta déficit de 660 médicos nos hospitais de Santa Catarina

Publicidade

O deputado estadual João Amin (PP) encaminhou, na tarde de quarta-feira (14), indicação à Secretaria de Estado da Saúde para que sejam tomadas medidas para a contratação de médicos efetivos na rede pública de Santa Catarina. Levantamento feito pela própria secretaria constatou que faltam cerca de 660 médicos nos hospitais do Estado.

No ano passado, o parlamentar apresentou pedido de informação solicitando o levantamento do número de vagas de médicos efetivos em aberto e quais as respectivas especialidades. Algumas das vagas existentes estão ocupadas por profissionais contratados temporariamente em razão da não autorização para realização de concurso público e consequente admissão de servidores em caráter efetivo.

Continua após a publicidade

Com a resposta da SES, ficou constatado um déficit de vagas no serviço público estadual. “São exatas 660 vagas em aberto a espera de contratação de profissionais médicos em variadas especialidade. A crise financeira na saúde do Estado não pode sobrepor às necessidades da população. Que se corte custos em outras áreas, mas que se faça concurso público para suprir essa demanda”, argumentou Amin.

Os clínicos gerais somam a maioria do déficit. Os hospitais com maior carência de profissionais são o Celso Ramos e Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis; Regional de São José; Hans Dieter Schmidt, em Joinville; Waldomiro Colautti, em Ibirama; e as maternidades Carmela Dutra, em Florianópolis; e Tereza Ramos, em Lages.

Publicidade